Imprimir
Categoria: Destaque
Visualizações: 483

O Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) tornou-se numa instituição de prestação de serviço notável, estando a fragilizar os tipos de crime que no passado criavam pânico no país, ceifando vidas de pessoas.

Segundo explica o ministro do Interior, Jaime Basílio Monteiro, o SERNIC é um serviço autónomo da Polícia e mais ligado ao Ministério Público, dotado de meios e equipamento, facto que lhe permite esclarecer crimes atípicos e complexos.

Esta informação foi avançada pelo governante em entrevista ao “Notícias” sobre o balanço dos quatro anos de governação do Presidente da República, Filipe Nyusi, no que diz respeito ao seu pelouro “É verdade que queremos muito mais e melhor prestação, mas os passos nesse sentido estão a ser dados”, garantiu.

Explicou que as transformações que ocorreram permitiram melhorar o desempenho destes serviços pois, se no passado os agentes cumpriam múltiplas tarefas, hoje só se dedicam à instrução de processos e investigação criminal. “Em algum momento (os agentes do SERNIC), iam à patrulha. Hoje estão desligados desta actividade, que passou a ser exclusivamente da Polícia”, referiu Basílio Monteiro.

Explicou que a fragilização dos criminosos, que são perseguidos, encontrados e responsabilizados, é graças ao trabalho feito pelo SERNIC nos últimos anos.

Mais pormenores sobre esta e outras matérias na página dois da presente edição.