Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

A Presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo Ndlovu, disse que o direito de votar representa para os moçambicanos a capacidade que têm de poder escolher quem deve ser dirigente dos órgãos autárquicos.

Segundo afirmou, cada cidadão recenseado deveria exercer o seu direito de cidadania, influenciando na decisão da escolha dos gestores dos órgãos locais.

A Presidente da Assembleia da República votou na Escola Secundária da Polana, onde funcionaram seis assembleias de voto. Neste posto, foram inscritos 4800 eleitores, entre os quais o antigo Presidente da República, Joaquim Chissano, os antigos primeiros-ministros, Luísa Diogo e Alberto Vaquina, o comandante-geral da Polícia, Bernardino Rafael, os antigos ministros da Defesa, Tobias Dai, e dos Combatentes, Mateus Kida, e a governadora da cidade de Maputo, Iolanda Cintura, que também ontem exerceram o seu direito de cidadania.

ACONSELHA PRIMEIRO-MINISTRO: Aguardar os resultados com calma

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, apelou aos eleitores que se deslocaram às mesas de voto a aguardar serenamente a divulgação dos resultados pelos órgãos competentes.

Carlos Agostinho do Rosário, que votou na Escola Secundária da Polana, na autarquia de Maputo, disse que a calma e a serenidade sempre foi característica dos moçambicanos, frisando que esta postura deve permanecer, mesmo nas eleições.

Congratulou a ordem e o civismo demonstrados pelos eleitores na maioria dos conselhos autárquicos, reiterando que esta deve ser a imagem a demonstrar para todo o país e o mundo.

Indicou que o sufrágio de ontem foi uma oportunidade que os cidadãos eleitores tiveram para definir o futuro das autarquias onde residem, escolhendo os candidatos que apresentam melhor programa de governação.

Voto define rumo do país

O Presidente do Tribunal Supremo, Adelino Muchanga, disse que através do voto os cidadãos escolhem a opção certa para a solução dos problemas que os afligem.

Adelino Muchanga fez este pronunciamento depois de ter votado na assembleia número 11019-01, que funcionou na Escola Secundária da Polana. O presidente do Tribunal Supremo sublinhou que através do voto o cidadão participa na definição das políticas de administração de cada município.

Acrescentou que a adesão às urnas é um direito pessoal e fundamental que garante a participação do cidadão na vida política.

Garantia do exercício da democracia

O Voto garante o exercício da democracia e é a elevação máxima da participação dos cidadãos na vida política e social, defendeu o presidente do Tribunal Administrativo, Machatine Munguambe.

Falando à imprensa momentos após votar na Escola Secundária da Polana, na assembleia número 11019-01, Machatine afirmou que votar significa desenvolvimento, pois, quem exerce este direito participa na definição dos rumos do município.

Acrescentou que o voto é a expressão da vontade dos cidadãos.

O presidente do Conselho Constitucional, Hermenegildo Gamito, exerceu o seu direito cívico na mesma assembleia de voto e afirmou que votar é um acto de cidadania que eleva os munícipes.

Por seu turno, a Procuradora-Geral da República, Beatriz Buchili, apelou aos moçambicanos para que se afastem de qualquer acto que conflitua com o processo eleitoral, sob o risco de os infractores serem penalizados.

Calisto só pensa na vitória

NUM ambiente considerado tranquilo, a votação na autarquia da Matola decorreu sem sobressaltos e não foram registadas ocorrências dignas de realce, o que foi considerado pelos eleitores e concorrentes como um processo bem organizado e executado no cumprimento restrito da lei.

O cabeça-de-lista da Frelimo, Calisto Cossa, disse estar confiante na vitória do seu partido, o que vai dar oportunidade para continuar com as realizações que visam criar as melhores condições de vida dos munícipes de todos os bairros da Matola.

Acompanhado da sua esposa, Cossa apelou à saída da respectiva assembleia de voto, na Escola Primária Completa de Tchumene 2, a todos os munícipes para que afluíssem em massa às urnas no sentido de garantir que o escrutínio tenha a legitimidade desejada, aconselhando a todos os votantes no sentido de voltarem para casa tranquilamente à espera dos resultados.

Informou que iria aguardar pela contagem junto dos seus camaradas na sede do partido, tendo exortado a todos os munícipes da Matola a pautarem pelo civismo e urbanismo no cumprimento do seu dever patriótico.

CONSIDERA SILVÉRIO RONGUANE: Todos concorrentes em condições de ganhar

O CABEÇA-DE-LISTA do MDM, na Matola, Silvério Ronguane, votou na Escola Primária Completa 30 de Janeiro e disse que todos os concorrentes estavam em condições de ganhar. Porém, segundo afirmou, deve ser eleito o partido que melhores opções apresentar.

Muchanga “fiscaliza” bairros

ANTÓNIO Muchanga, cabeça-de-lista da Renamo, votou na Escola Primária Completa Tunduro, no conselho autárquico da Matola. Disse que o seu voto visava operar mudanças e melhorar as condições de vida dos munícipes locais.

Depois do exercício do seu dever de cidadania, Muchanga afirmou que iria se deslocar a alguns bairros para “ajudar a dissipar equívocos” de cidadãos que, alegadamente, pretendiam votar mesmo residindo fora da área autárquica do município.

Entretanto, numa ronda efectuada a diferentes bairros, a nossa Reportagem testemunhou a forma ordeira como decorreu o processo, bem como a resposta atempada dos órgãos eleitorais às situações que poderiam criar constrangimento ao funcionamento das mesas.

QUELIMANE: Morosidade no atendimento

AFLUÊNCIA massiva e morosidade no atendimento marcaram a votação no conselho autárquico de Quelimane. O cabeça-de-lista da Frelimo, Carlos Carneiro, votou na Escola Primária Completa de Quelimane, da Renamo, Manuel de Araújo, na Escola Primária Completa de Coalane, e do MDM, Rogério Waro-Waro, na Escola Primária Completa 17 de Setembro.

O processo foi caracterizado pelo registo de algumas anomalias, dentre as quais a ausência de nomes nos cadernos eleitorais, a não priorização de eleitores com necessidades especiais e morosidade no processamento dos “mobile” por falta de domínio por parte dos membros das mesas de voto.

Em Maganja da Costa, Guruè, Milange, Mocuba e Alto Molócuè há informações segundo as quais o processo decorreu com normalidade.

Detido em Chimoio por campanha à boca da urna”

UM indivíduo identificado como sendo da Renamo foi detido na Escola Primária Completa Nhamadjessa, no município de Chimoio, por alegadamente ter sido encontrado em flagrante a fazer propaganda eleitoral nas proximidades de uma assembleia de voto.

Segundo a porta-voz da Polícia em Manica, Elsídia Filipe, além deste ilícito eleitoral o mesmo indivíduo terá desobedecido às ordens das autoridades que o chamaram a atenção para a abandonar esta prática.

Fora este e outros pequenos episódios considerados de “pequena monta”, a votação decorreu sem sobressaltos em todos os cinco conselhos autárquicos da província.

O cabeça-de-lista da Frelimo, João Ferreira, votou na assembleia número 06002-01, da Escola Primária 25 de Junho. Ferreira manifestou-se satisfeito por ter exercido o direito de voto e reafirmou o seu compromisso em desenvolver o município.

Manuel Macocove, cabeça-de-lista da Renamo, exerceu o seu direito cívico na assembleia número 06001-02, da EPC Centro Hípico, e elogiou o nível de organização do processo.

O cabeça-de-lista do MDM, Alberto Nota, votou na assembleia número 06021-03, instalada na Escola Secundária da Soalpo. 

 

 

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction