O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) oficializou, ontem, a entrega de um milhão de dólares norte-americanos ao Instituto de Gestão de Calamidades (INGC), através do Ministério das Finanças, como primeira fase do apoio daquela instituição financeira ao Governo de Moçambique para a compra de tendas e mantimentos para as zonas mais afectadas pelo ciclone Idai.

O apoio do BAD integra-se numa abordagem multifacetada do BAD a nível regional, que compreende, para além do montante concedido ao INGC para financiar as necessidades de emergência, um projecto de financiamento até 100 milhões de dólares para a reconstrução dos países afectados pelo desastre natural, nomeadamente Moçambique, Malawi e Zimbabwe.
A formalização da entrega do apoio teve lugar na terça-feira, no final da missão do BAD que, desde o passado dia 24 de Abril corrente, visitava Maputo, em resposta ao pedido de assistência do Governo de Moçambique para a criação de soluções de longo prazo para a gestão dos riscos catastróficos climáticos.
A abordagem do BAD, de acordo com um comunicado de imprensa daquela instituição financeira, a que a AIM teve acesso, inclui a reprogramação pontual da assistência, bem como a assistência técnica ao governo na sua colaboração com as Nações Unidas, União Europeia e com o Banco Mundial, para o levantamento dos estragos causados pelo ciclone, “um esforço de mobilização de recursos liderado pelo presidente Akinwumi Adesina”.
A missão, que integrou funcionários do African Risk Capacit (ARC), foi liderada pela directora do Departamento de Agricultura, Finanças e Desenvolvimento Rural desta instituição, Atsuko Toda.
Durante a visita, a missão reuniu-se com o ministro moçambicano das Finanças, Adriano Maleiane, para aprofundar o diálogo sobre as opções do seguro climático, além de uma série de encontros técnicos com o Instituto Nacional de Meteorologia, parceiros de desenvolvimento e bancos locais. 
“A missão faz parte das diferentes acções do BAD para concretizar o apoio, recentemente oficializado a Moçambique, sobre o Plano de Reconstrução das Zonas Afectadas”, refere o comunicado.
Na cerimónia de formalização da entrega do apoio, Atsuko Toda endereçou, em nome da sua instituição, uma mensagem de condolências às vítimas dos desastres naturais que continuam a fustigar o nosso país.
“O Banco Africano de Desenvolvimento envia ao povo moçambicano condolências pelas vítimas do ciclone Idai e do ciclone Kenneth. Estamos comprometidos em apoiar o país na procura de soluções sustentáveis para as vulnerabilidades climáticas, através de produtos financeiros sustentáveis. Quereremos criar um consórcio que possa apoiar o país a ser mais resiliente às mudanças climáticas”, disse Toda, citada no comunicado. 
Por sua vez, Maleiane recordou que Moçambique está sendo fustigado por calamidades naturais severas.
“Neste momento em que decorre esta cerimónia, prosseguem trabalhos de assistência humanitária às vítimas do ciclone Idai, enquanto no norte, mais especificamente em Cabo Delgado, decorrem operações de busca e salvamento das pessoas afectadas pelo ciclone Kenneth que, na semana passada, atingiu aquela parcela do nosso país”, disse.
Maleiane informou que o ciclone Idai afectou pouco mais de 1.5 milhão de pessoas, a maioria das quais perdeu completamente as suas habitações, tendo causado 603 óbitos e destruiu diversas infra-estruturas públicas e privadas, incluindo escolas, unidades sanitárias e vias de acesso.

 

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction