Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

A FORÇA da Guarda-fronteira estacionada em Ressano Garcia, na província de Maputo, abortou, sexta-feira última, uma tentativa de migração clandestina de 27 crianças e deteve sete indivíduos, entre motoristas, colaboradores e guias em conexão com os mesmos casos.

Os detidos foram identificados pelos nomes de Alex Zucule, 22 anos de idade, Natalino Malembe, (26), Filipe Cuambe, (31), Ricardo Jacinto, (35), Jonas Chauque, (42), Fernando Tovela, (36) e Peter Ndlovu, (40) este último motorista sul-africano que transportava duas mulheres e seus filhos sem documentos de viagem.

As crianças, com idades compreendidas entre um e nove anos , foram encontradas em momentos diferentes na companhia de guias, vulgo marianas, tentando atravessar a cerca que separa Moçambique e a África do Sul.

Uma viatura de marca Toyota Hiace foi apreendida depois de ser surpreendida a tentar atravessar com 13 crianças sem qualquer documento, com destino a cidade de Alexander. Interpelados pela Força policial ao longo da cerca, alguns “marianas” fugiram abandonando os menores à sua sorte.

As crianças foram levadas ao centro de acolhimento das irmãs, onde passaram as refeições na noite de sexta-feira. Na manhã de sábado, familiares dos emigrantes e dos menores, fizeram-se ao posto de policial de Ressano, com intuito de levar os petizes de volta às suas casas.

Questionados sobre os motivos que os levaram a entregar as crianças aos motoristas e serem submetidos a mecanismos de travessia pouco humanos, os familiares alegaram o alto custo para aquisição dos passaportes.

“Eu tenho aqui os meus quatro sobrinhos, a minha filha e a minha esposa que iam passar férias em casa da minha cunhada e pedi ao motorista que os levasse, embora nenhum deles tivesse documentos”, disse Alexandre.

Os transportadores entrevistados pela nossa reportagem dizem ter-se envolvido no caso movidos por dinheiro e que por cada criança receberiam valores que variam entre 300 e 500 randes sul-africanos, o equivalente a 1000 e 1500 meticais.

A Polícia através do seu Oficial de Imprensa, Emídio Mabunda, esclareceu que se trata de um caso de migração ilegal que está a merecer a devida atenção pelos agentes da lei e ordem e que feita a triagem as crianças serão devolvidas ao seu local de origem.

“Trata-se de um caso ainda em análise, mas até aqui estamos diante de uma migração ilegal ou violação de fronteira e por ser crime vai merecer a devida atenção. A polícia está a trabalhar e no devido tempo vai esclarecer o caso e reintegrar as crianças”, afirmou o Oficial de Imprensa.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction