Imprimir
Categoria: Maputo
Visualizações: 1011

Dois funcionários do Estado, afectos à Direcção Nacional de Identificação Civil (DNIC), foram expulsos, semana finda, por alegadas cobranças ilícitas e tentativa de facilitar a atribuição de bilhetes de identidade a cidadãos de nacionalidade estrangeiros, na cidade de Maputo.

Durante o período em análise, outros dois indivíduos foram detidos, um português na posse de 8 talões de bilhete de identidade, na província de Inhambane e outro em Manica, com documentos falsos, os mesmos tinham como objectivo aderir à pensão dos combatentes.

Segundo contou o porta-voz da DNIC, Alberto Sumbanea eles fizeram-se passar por nossos concidadãos, arranjaram assentos de nascimento e através dos mesmos tentaram obter bilhetes de identificação.

A fonte lançou um alerta à sociedade no sentido de estar atenta à movimentação de indivíduos estrangeiros no país e denunciar prováveis casos de posse de documentos, cuja origem é considerada duvidosa.

Aliás, o nosso interlocutor disse, num outro desenvolvimento, que existem 214 pedidos de bilhetes de identidade, cuja emissão ainda não foi autorizada, devido a investigações em curso, após ter-se constatado algumas irregularidades, tais como a duplicação de registo, alteração de dados e o uso do mesmo nome para diferentes documentos.