A epilepsia é uma doença caracterizada por crises convulsivas repetidas causadas por mau funcionamento cerebral devido a descarga eléctrica anormal, de duração e intensidade variável, que vão desde episódios de curta duração e praticamente imperceptíveis até longos períodos de agitação vigorosa.

Em epilepsia os ataques tendem a ser recorrentes e a não ter uma causa subjacente definida, enquanto que os ataques que ocorrem devido a uma causa específica não são considerados representativos desta doença.

 Em Moçambique a epilepsia é a primeira causa de procura nos serviços de psiquiatria e de consultas de neurologia. Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, mais de 50 milhões de pessoas no mundo sofrem de epilepsia. A desordem crónica no cérebro causa convulsões e pode afectar pessoas de todas as idades.

Na maior parte dos casos de epilepsia desconhece-se a origem da doença, embora algumas pessoas desenvolvam epilepsia posteriormente a complicações durante o parto, infecções cerebrais, meningite (inflamação das membranas que envolvem o cérebro), encefalite (são infecções agudas do encéfalo), malária cerebral, tuberculose, HIV/SIDA, sífilis, acidente vascular cerebral, traumatismo no crânio e problemas de natureza genética.

Sintomas

As características das convulsões variam dependendo da área do cérebro na qual o distúrbio começa e como se propaga. Sintomas temporários podem ocorrer, com convulsões:

Perda de consciência, movimentos convulsivos (tremores involuntários do corpo), incontinência urinária e fecal (perder urina e fezes), mordedura da língua e espumar pela boca.

Sem convulsões:

·         Olhar parado, não conseguir responder durante um período;

·         Deixar cair objectos sem se aperceber.

 A maioria das pessoas com epilepsia aparenta levar uma vida normal mas o risco de ataques epilépticos limita a sua independência. A maioria dos ataques epilépticos não causa lesão cerebral. É normal que pessoas com epilepsia, especialmente crianças, desenvolvam problemas emocionais e de comportamento.

A maioria das mulheres com epilepsia pode engravidar mas deve discutir com o médico sobre sua doença e medicamentos tomados. Mulheres com epilepsia têm uma chance acima de 90 por cento de ter um bebé saudável.

Situações de crises convulsivas

Perante uma pessoa que está a ter crises convulsivas é necessário:

·         Manter a calma e tranquilizar quem esteja por perto;

·         Colocar a pessoa deitada de lado ou de barriga para baixo a fim de facilitar a respiração e prevenir a aspiração (engolir) de secreções e vómito;

·         Afastar objectos duros ou cortantes e desapertar as roupas em torno do pescoço e peito,

·         Colocar um objecto macio para servir de almofada na cabeça (um casaco ou uma capulana dobrada);

·         Não dar de beber nem de comer nessa altura, pelo perigo de os líquidos/alimentos seguirem as vias respiratórias e matarem, eventualmente, o doente;

·         Pôr um pano ou pau na boca do doente, para evitar que morda a língua;

·         Logo que o ataque epiléptico termina, levar o doente à unidade sanitária mais próxima para receber tratamento.

 

O tratamento da Epilepsia

A epilepsia tem tratamento que permite o controlo dos ataques com medicação em cerca de 70 por cento dos casos, mas não tem cura. Em pessoas cujo a medicação não responde aos ataques, pode-se considerar a hipótese de alterações na dieta ou cirurgiade neuro estimulação. O importante é fazer as consultas médicas e tomar, regularmente, os medicamentos prescritos pelo profissional de saúde ou médico. O tratamento é para toda a vida.

A epilepsia não é transmissível, por isso, ninguém deve ter medo de prestar ajuda a um epiléptico.

  Fonte : MISAU

Mais recentes

Breves

Editorial

Editorial
Sexta, 18 Agosto 2017
A NOTÍCIA sobre a suspensão da importação, pela Índia, do feijão-bóer caiu que nem uma bomba para todos quanto investiram na cadeia de valor deste produto, por terem acreditado que se estava perante uma grande oportunidade para ter algum rendimento. Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Nampula em foco: Tijolo a tijolo Murrupula vai...
Quinta, 17 Agosto 2017
O DISTRITO de Murrupula, na província de Nampula, está a implementar um programa de massificação de uso de tijolo queimado na construção de infra-estruturas, com destaque para habitações da população, escolas, unidades sanitárias e estabelecimentos comerciais, facto que se reflecte na mudança da vida do distrito. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,73 61,93
ZAR 4,52 4,61
EUR 71,32 72,73

08.08.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ alguns anos que tenho tido o privilégio de fazer a cobertura das ...
2017-08-18 23:30:00
NA próxima quarta-feira os angolanos vão a voto, naquilo será o ...
2017-08-18 23:30:00
HÁ dias meti o meu “flash” num computador da faculdade e todos ...
2017-08-18 23:30:00
A IMPRENSA moçambicana tornou público recentemente, a possibilidade de ...
2017-08-17 23:30:00
HOJE queremos, neste espaço, homenagear milhares de crianças ...
2017-08-16 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 1813 visitantes em linha