Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

Opinião

Politica

Economia

A Autoridade Tributária de Moçambique (AT) projecta arrecadar cerca de 244,6 mil milhões de meticais (MT) em receitas, conforme proposta da Lei do Orçamento do Estado para ...

quinta, 20 setembro 2018
Read more
Pub
SN

Desporto

A VIGÉSIMA sexta jornada do Moçambola será dominada pelos duelos de equipas que lutam pela manutenção na prova, numa altura em que a “batalha” pelo ...

sexta, 21 setembro 2018
Leia +

Nacional

COMEÇA esta terça-feira o “namoro” do eleitorado ao nível das 53 autarquias do país. Serão duas semanas durante as quais diversas ...

sábado, 22 setembro 2018
Leia +

O desaparecimento de terras húmidas está na origem de inúmeros problemas socio-ambientais, para a população que habita nas zonas costeiras, causando inundações, aumento das áreas de reprodução do mosquitos causador da malária, devido às águas paradas, que trazem consigo doenças como a malária.

O alerta é do Fundo Mundial para a Natureza (WWF – Moçambique), que aponta como exemplo, a área de mangal do bairro da Costa do Sol, na cidade de Maputo, que tem sofrido uma grande redução para dar espaço a construções de casas, com consequências nefastas para o futuro desta região.

De acordo com esta organização ambientalista, o mangal é importante por servir de filtro natural das águas e local de reprodução de espécies marinhas, que servem de alimento para as comunidades que vivem ao longo da costa. Este ajuda ainda na defesa contra inundações, tempestades, ventos fortes e ciclones.

“Muitas espécies de peixe desovam e se reproduzem nas terras húmidas e esses locais são propícios para a pesca, que deve ser feita de forma sustentável”, refere um comunicado da WWF.

Outro alerta lançado pelos ambientalistas indica que o alastramento das cidades faz com que a demanda por locais para construção afecte as terras húmidas que são degradadas e transformadas em áreas para habitação.

Segundo esta organização, é importante preservar as terras húmidas, uma vez que elas podem actuar como esponjas gigantes que absorvem água das inundações. Elas incluem rios, lagos e pântanos, assim como variantes costeiras como marismas, mangais e recifes de coral.

“Os aquíferos subterrâneos, a água da chuva e dos rios são fontes para toda a água potável que temos. As terras húmidas podem filtrar a água que entra nos aquíferos e ajudar a recarregar esta importante fonte. A protecção dos rios e a redução do seu uso também contribuem para proteger as reservas de água”, refere a WWF.

O mesmo documento indica que os solos ricos em lodo e vegetação podem funcionar como filtros de água que absorvem quantidades razoáveis de toxinas, pesticidas agrícolas e resíduos industriais.

Estas também produzem humidade que esfria de forma natural o clima, o que ajuda a melhorar a qualidade do ar nas cidades das regiões tropicais e dos locais mais secos.

“As terras húmidas urbanas, quando bem planificadas e conservadas, como as áreas verdes, oferecem às pessoas grandes espaços para recreação. Existem estudos que mostram que o contacto com a natureza diminui o stress e melhora a saúde das pessoas”, refere o documento.

Elas fornecem ainda produtos e serviços ambientais para as comunidades, tais como madeira, ervas, frutas, além de atrair turistas, outra importante fonte de geração de emprego e renda.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction