Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

O MOÇAMBOLA retoma este fim-de-semana depois do interregno para dar lugar aos compromissos da Selecção Nacional, com a efetivação da terceira jornada, na qual o Desportivo tem uma difícil deslocação à Beira para defrontar no domingo o Ferroviário local.

Os “alvi-negros”, sem qualquer ponto em dois jogos até aqui disputados, não terão vida fácil em Chiveve, pois vão medir forças com uma das melhores equipas desta competição e que este ano decidiu lutar abertamente pelo título.

A equipa comandada por Uzaras Momed está sob pressão, depois de perder com o Maxaquene e com o Costa do Sol na primeira e segunda rondas, respectivamente.

O Ferroviário da Beira, por sua vez, soma quatro pontos, uma vitória e um empate, pelo que esta é uma oportunidade para os “locomotivas” atingirem os sete pontos, o que manter-lhes-ia no pelotão da frente.

Em Maputo o Maxaquene recebe o Chibuto, num duelo que tem sido emotivo nos últimos anos. Os “tricolores” querem se redimir da derrota na ronda anterior frente ao ENH de Vilankulo, pelo que estarão de olho na vitória frente aos “guerreiros”, que em dois jogos realizados somam dois pontos frutos de outros tantos nulos.

O embate terá lugar no domingo à tarde no Estádio Nacional do Zimpeto.

O Costa do Sol, reanimado depois da vitória frente ao Desportivo na segunda ronda, recebe amanhã no seu relvado sintético o ENH de Vilankulo. Partida interessante, pois coloca frente-a-frente duas equipas com quatro pontos, pelo que ninguém irá facilitar. Os “hidrocarbonetos” estão igualmente motivados, pois na ronda anterior tombaram um gigante, o Maxaquene, daí que haja alguma confiança para este desafio.

Outra difícil deslocação é a que tem o Ferroviário de Maputo, campeão em título, a Nacala, onde irá jogar com o seu homónimo local. Nacala tem sido um reduto difícil para qualquer equipa que para lá se desloca, principalmente quando o adversário é o Ferroviário local, pelo que os campeões nacionais não terão vida fácil no domingo, apesar de se terem estreado de forma demolidora na quarta-feira frente ao Desportivo daquele ponto do país, na Machava, a quem impuseram uma goleada por 3-0.

No Songo a União Desportiva local recebe a aguerrida equipa do 1.º de Maio de Quelimane, que nesta prova já tirou pontos a dois candidatos ao título, nomeadamente o Costa do Sol e o Ferroviário da Beira.

Nesta partida, que terá lugar na tarde de domingo no Estádio 27 de Novembro, a União Desportiva é favorita teoricamente, mas os “operários” não costumam facilitar, pelo que o prognóstico é difícil.

Em Nampula o Ferroviário local recebe o regressado Chingale. É o reencontro entre duas equipas que se conhecem muito bem, com vários duelos no Moçambola. O factor casa pode pender a favor dos “locomotivas”.

Na capital do país o Estrela Vermelha joga amanhã contra o Desportivo de Nacala. É uma desafio entre duas equipas do mesmo “campeonato” e que procuraram dar o ar da sua graça. O Desportivo de Nacala ainda está com sequelas da goleada sofrida na quarta-feira, frente ao Ferroviário de Maputo, na Machava, e nesta partida certamente que irá dar tudo para sair com um resultado que lhe interessa.

Os “alaranjados”, por sua vez, sabem que os pontos para a manutenção são conseguidos frente a adversários como o Desportivo de Nacala, pelo que na tarde de domingo pode se esperar uma partida interessante no campo do Costa do Sol.

Ainda no domingo, na Matola “C”, a Liga Desportiva de Maputo recebe o estreante Desportivo do Niassa, numa partida em que os “muçulmanos” são claramente favoritos. Ambas equipas somam um ponto, mas a Liga apenas efectuou um jogo até ao momento, devido à sua participação nas Afrotaças.

Todos os jogos desta que é a terceira jornada têm início às 15.30 horas, à excepção da U. D Songo-1.º de Maio, que começa às 15.00 horas. Costa do Sol-ENH é o único agendando para amanhã.

DEVIDO ÀS MÁS ARBITRAGENS: SEMEDO AMEAÇA ABANDONAR FUTEBOL

O TREINADOR da União Desportiva do Songo (UDS), Artur Semedo, ameaça abandonar o futebol devido à existência na modalidade daqueles que, segundo ele, actuam por conta dos outros para prejudicar os que trabalham honestamente, em alusão aos árbitros.

Semedo falava pouco depois do nulo, na tarde da quarta-feira, entre a sua equipa e a Liga Desportiva de Maputo, em Songo, uma partida em que o representante de Tete marcou, mas o árbitro não validou o golo por um pretenso fora-de-jogo.

No fim do jogo Artur Semedo estava agastado com a actuação da equipa da arbitragem, tendo realçado que “é vergonhoso o que se assistiu hoje (quarta-feira) aqui. Todos os dias eu e a minha equipa trabalhamos debaixo do Sol abrasador do Songo, para depois alguém nos fazer coisas como esta”, disse.

Acrescentou que “todos sabem e conhecem a qualidade do futebol praticado pelas equipas por onde passei, mas o nosso futebol continua com pessoas que trabalham a mando dos outros. É frustrante o que os árbitros têm feito à minha equipa”, desabafou.

A concluir, Semedo prometeu deixar o futebol dentro em breve para abraçar outras actividades. “A qualquer momento vou abandonar isto e fazer outras coisas. Aliás, tenho muita coisa a fazer na vida”, atirou.

 

Sábados

TEMA DE ...

É um facto que as autoridades municipais, há anos, enfrentam ...

...

A INFÂNCIA e a arte são universos muito próximos. ...

Conselho de administração

Presidente: Bento Baloi

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

Siga-nos

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction