Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

MAIS de 100 pessoas morreram no naufrágio, na quinta-feira, de uma embarcação no Lago Vitoria, na Tanzânia. O Presidente tanzaniano, John Magufuli, manifestou a sua "profunda tristeza" com o desastre, que também fez um número indeterminado de desaparecidos.

Desconhece-se quantas pessoas iam no ‘ferry’. A Agência tanzaniana de Serviços Electrónicos e Electromecânicos, operadora da embarcação, não soube informar quantos passageiros estavam no MV Nyerere, que fazia a ligação entre a península de Ukerewe e a ilha de Ukora, na zona sul do Lago Vitória, o maior do continente africano.

Entretanto, segundo o coronel Maghembe, comissário do distrito de Ukerewe, o navio tinha capacidade para 100 pessoas e 25 toneladas de mercadoria e espaço para veículos, mas transportava 400 pessoas na altura do naufrágio.

A TV estatal afirmou que cerca de 200 passageiros estavam na embarcação e outras fontes falam de 300.

Pelo menos 40 pessoas foram resgatadas com vida.

Não foram determinadas ainda as causas do acidente, mas suspeita-se de carga excessiva.

O Presidente John Magufuli, pediu aos moradores que "permaneçam tranquilos num momento difícil".

A oposição, entretanto, acusou o governo de negligência.

"Muitas vezes alertamos para as condições ruins das embarcações, mas o governo ignorou. Várias vezes denunciamos esta negligência", disse John Mnyika, do Chadema, principal partido de oposição.

Mnyika disse que sobrecarga na embarcação reflecte "outra falha das autoridades" e criticou os trabalhos de resgate "insuficientes". – LUSA/G1

Comments

Subiu para 94 o número de mortos confirmados do naufrágio de um navio de passageiros no Lago Vitória, na Tanzânia, que segundo a imprensa transportava cerca de 400 pessoas.

De acordo com as equipas de socorro, pelo menos 94 pessoas morreram afogadas no naufrágio da embarcação “MV Nyerere” ocorrido ontem, na zona sul do Lago Vitória, Tanzânia.

De acordo com fontes citadas pela imprensa da Tanzânia, o navio com capacidade total para 100 passageiros e 25 toneladas de mercadorias, algumas publicações referem que se encontravam embarcadas 400 pessoas.

O Governador da região de Mwanza, John Mongella, indicou que por enquanto ainda não se pode determinar o número total de passageiros que se encontravam a bordo do “MV Nyerere” na altura do naufrágio.

O Governador acrescentou que 40 pessoas foram resgatadas com vida na quinta-feira à noite mas não adiantou se foram localizados sobreviventes hoje de manhã, depois de terem sido retomadas as buscas que foram interrompidas durante a noite.

O Presidente da Tanzânia, John Magufuli, enviou condolências às famílias das vítimas mortais e desejou uma rápida recuperação aos passageiros que foram, entretanto, hospitalizados.

O navio pertence à Agência de Serviços Eletrónicos e Eletromecânicos da Tanzânia e naufragou enquanto fazia a ligação entre a península de Ukerewe e a ilha de Ukora, na zona sul do Lago Vitória, o maior do continente africano.

O lago um importante ponto de atracção turística é rodeado pelos territórios da Tanzânia e Quénia é igualmente uma zona onde se registam vários naufrágios todos os anos sobretudo devido a fortes tempestades.

Segundo a Cruz Vermelha, em 1996, mais de 800 pessoas morreram no naufrágio do ferryboat “Bukoba” no Lago Vitória, ao largo de Mwanza.

Comments

O Presidente de Angola aprovou ontem, por decreto, a transformação da companhia aérea angolana TAAG, em sociedade anónima, primeiro passo para a provável privatização da empresa, cujo Conselho de Administração foi exonerado.

No decreto, a que a agência Lusa teve acesso, João Lourenço decreta a criação da TAAG, SA, “sem quebra de identidade e personalidade jurídica”, em vez de TAAG - Linhas Aéreas de Angola, EP.

No mesmo diploma, o presidente angolano exonerou o Conselho de Administração da companhia aérea, nomeando, noutro decreto, uma nova direcção, delegando poderes ao Ministério dos Transportes para conferir a respectiva posse.

Com o decreto, caiu a administração liderada desde 19 de Dezembro de 2017 pelo antigo secretário de Estado dos Transportes Terrestres, o angolano José João Kuvíngua.

O novo presidente do Conselho de Administração (não executivo) da TAAG, SA, é Hélder da Silva Gonçalves de Moura e Preza, que terá Rui Paulino de Andrade Teles Carreira como presidente da Comissão Executiva.

Eulália Maria Cardoso Policarpo Bravo da Rosa, Luís Ferreira de Almeida, Hugo Alberto Pinto dos Santos Amaral, Fernando Alberto da Cruz, Adelaide Godinho e Américo Borges foram nomeados como administradores executivos.

Luís Eduardo dos Santos, Arlindo de Sousa e Silva, Mário Jorge da Silva Neto e Lourenço Manuel Gomes Neto foram também nomeados, mas como administradores não executivos.

Comments

Um tribunal do Egipto ordenou, ontem, a libertação dos dois filhos do antigo presidente Hosni Mubarak, que estão a ser julgados por “manipulação do mercado bolsista”.

Segundo a agência noticiosa Associated Press, na semana passada, um tribunal ordenou a detenção de Alaa e Gamal Mubarak, antes de adiar as audiências até 20 de Outubro.

A decisão de os libertar ocorreu poucas horas depois de um tribunal de recurso aceitar uma moção movida pelos seus advogados de defesa para retirar o juiz que ordenou a sua detenção, em 15 de Setembro de 2018.

Os advogados argumentaram que a decisão “era irracional”, dado que os acusados participavam regularmente nas audiências.

Os irmãos Mubarak, juntamente com o seu pai, foram detidos dois meses depois de uma revolta popular que forçou o antigo presidente Hosni Mubarak a renunciar, após 29 anos no poder.

Hosni, Alaa e Gamal Mubarak foram posteriormente condenados a três anos cada por desviar fundos destinados à manutenção dos palácios presidenciais.

Os dois filhos foram libertados, em 2015, pelo seu tempo de serviço, enquanto Hosni Mubarak foi libertado no ano passado.

Em 15 de Setembro, os dois filhos do ex-Presidente egípcio Hosni Mubarak foram detidos por suspeita de “manipulação do mercado bolsista”.

Gamal e Alaa Mubarak e outras três pessoas são acusadas de concertar a aquisição da maioria das acções de vários bancos através de empresas-fachada, sem o declarar na bolsa, como a lei obriga.

Comments

Mais de 40 pessoas morreram, ontem, quando um “ferry-boat”' naufragou no sul do Lago Vitória, na Tanzania, informou um porta-voz do governo à televisão estatal do país.

“De acordo com as informações que o Presidente John Magufuli acaba de receber das autoridades locais, em Mwanza, o balanço é actualmente superior a 40 mortos”, declarou Gerson Msigwa.

O “ferry-boat” Nyerere naufragou ontem, com um número desconhecido de pessoas a bordo, perto da Ilha Ukara, no sul do maior lago de África, segundo um comunicado do operador público do navio.

“Estavam a bordo mais de uma centena de pessoas, quando o “ferry-boat” se afundou, temendo-se que muitos passageiros tenham perdido a vida”, disse George Nyamaha, que lidera o Conselho Distrital de Ukerewe, que se situa na região de Mwanza.

O “ferry-boat” transportava também mercadorias, quando naufragou junto ao cais, sendo que a causa do acidente ainda é desconhecida. Contudo, naufrágios como este acontecem frequentemente devido ao excesso de carga.

O balanço tem sido trágico, maioritariamente, pois além da falta de coletes salva-vidas a bordo, muitos dos passageiros não sabem nadar.

Em 1996, quase 700 pessoas morreram quando uma embarcação se afundou no mesmo lago.

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction