Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

O novo responsável pelo regulador da Internet na China, Zhuang Rongwen,  prometeu consolidar o controlo do Partido Comunista sobre a população de internautas no país, a maior do mundo, e promover “online” as teorias do Presidente Xi Jinping.

Num artigo publicado na revista bimensal Qiushi”, sobre teoria política do PCCh, Zhuang Rongwen reafirma a liderança do partido na governação do ciberespaço e compromete-se a promover “online” o pensamento de Xi, o mais poderoso líder chinês das últimas décadas.

Zhuang dirige, desde o mês passado, a Administração do Ciberespaço da China, organismo que controla o conteúdo disponível para os mais de 800 milhões de internautas chineses e exerce vigilância sobre as empresas do sector.

O artigo foi difundido após um encontro entre a liderança chinesa para discutir trabalho ideológico e propaganda, e que se realiza a cada cinco anos.

Sob a direcção de Xi Jinping, as autoridades chinesas reforçaram já o controlo sobre a rede, silenciando até vozes moderadamente críticas, num espaço outrora considerado como o mais livre do país.

No referido artigo, Zhuang promete promover "energia positiva" e reprimir "tendências ideológicas negativas", que incluem "distorcer" as versões históricas do partido, Estado ou exército, ou "negar" a liderança do PCCh e o sistema socialista.

Zhuang afirma que as empresas do sector serão "estritamente" responsáveis pela gestão de conteúdos e prometeu acelerar o estabelecimento de uma plataforma nacional que abarque todas as firmas do sector e uma plataforma de gestão de emergência da opinião pública no ciberespaço.

"A Internet tornou-se no principal campo de batalha e linha da frente para os trabalhos de propaganda e da opinião pública", afirma Zhuang.

"Para assumir o controlo do trabalho ideológico não precisamos apenas da força-motriz dos membros do partido e dos editores e jornalistas, mas também devemos utilizar as massas e os internautas", acrescenta.

Zhang apela aos internautas que "mobilizem energia positiva" e se "eduquem" uns aos outros sobre a regulação do comportamento 'online', visando "limpar o ambiente do ciberespaço".

O artigo refere várias ideias de Xi Jinping, incluindo a "criação de uma Internet limpa e justa" e a noção de "soberania do ciberespaço", que define a Internet como essencial para a estabilidade política e segurança nacional.

Num discurso proferido em 2013, Xi acusou "as forças ocidentais anti-China" de usar a Internet para atacar o país.

"Ganhar a luta no campo de batalha da Internet é crucial para a segurança da ideologia e do regime do nosso país", afirmou.

Facebook, Twitter ou WhatsApp estão bloqueados na China, mas o país tem as suas próprias redes sociais - o Wechat ou o Weibo -, que contam com centenas de milhões de utilizadores.

As autoridades aumentaram também a censura sobre conteúdos que consideram "vulgar", ou que contrariem os valores socialistas. Desde o ano passado os reguladores têm vindo a punir internautas por comentários 'online', distribuidores e plataformas.

Só no segundo trimestre deste ano a Administração do Ciberespaço da China encerrou 1888 portais electrónicos e 720.000 contas nas redes sociais chinesas por conteúdo "ilegal".

No início deste mês, um projecto de regulamento emitido pelo regulador propôs banir da Internet chinesa todos os estrangeiros que promovam a religião no país e proibir a transmissão 'online' de actividades religiosas.

Comments

Um grupo de assaltantes introduziu-se num instituto de formação profissional na capital cubana, Havana,  e atacou com facas, indiscriminadamente, vários alunos, provocando nove feridos, noticiou a imprensa estatal na quarta-feira (19).

O incidente ocorreu no Politécnico Olo Pantoja, no município de La Lisa, a oeste de Havana, onde “quatro pessoas alheias ao sistema nacional de educação irromperam no centro e causaram ferimentos ligeiros a nove estudantes”, segundo a Internet Cubadebate, o sítio estatal noticioso.

A informação foi divulgada por este meio oficial depois de outros não oficiais terem divulgado o ataque com armas brancas ocorrido naquele estabelecimento, o que provocou algum alvoroço em Cuba, país pouco habituado a este tipo de acontecimentos passar para o âmbito público.

Segundo a versão dos meios digitais independentes em Cuba e Miami, nos Estados Unidos da América, que citaram como fontes docentes do Politécnico, os assaltantes entraram nas aulas e começaram a apunhalar alunos.

Sem confirmar os ataques, o Cubadebate destacou a gravidade dos factos, ao indicar que “se deslocaram ao local autoridades do partido, do governo e da educação do território, bem como membros da Polícia Nacional Revolucionária”.

Ainda segundo este meio oficial, “as acções de investigação permitiram capturar, em curto tempo, os quatro autores, que estão detidos e sob investigação”.

Não foram avançadas as possíveis causas do ataque, mas meios independentes mencionaram um eventual ajuste de contas.

Os estudantes feridos tiveram alta e o centro “mantém as suas actividades formativas normais”, segundo o Cubadebate.

Comments

O Presidente da Coreia do Sul discursou ontem para uma multidão norte-coreana, propondo à Coreia do Norte que ambos os países acabem com sete décadas de hostilidades e construam um futuro de paz e prosperidade.

Moon Jae-in e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, e as respectivas esposas marcaram presença num espectáculo coreográfico que este ano recebeu o título de “O País Glorioso”, num estádio em Pyongyang, na noite de quarta-feira, onde milhares de artistas actuaram perante cerca de 150 mil espectadores. “Nós vivemos juntos por cinco mil anos e vivemos em separação por 70 anos. Proponho agora que eliminemos completamente a hostilidade dos últimos 70 anos e demos um grande passo em direcção à paz”.

Os historiadores dizem que o cronograma de cinco mil anos da história coreana é uma reivindicação infundada que se tornou parte da narrativa oficial da Coreia do Sul, depois de ser inserida nos livros escolares durante o Governo do antigo ditador Chun Doo-hwan.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, assinaram na quarta-feira uma declaração conjunta que poderá ser importante para o futuro diálogo sobre a desnuclearização da península entre Pyongyang e Washington.

Durante a cimeira, que cumpre hoje o seu terceiro e último dia, os ministros da Defesa das duas Coreias, que tecnicamente continuam em guerra, assinaram ainda um histórico acordo militar, que reduz a possibilidade de se produzirem choques fronteiriços entre os respectivos exércitos.

De acordo com o documento, os dois países vão suspender - a partir do dia 01 de Novembro - as respectivas manobras junto à fronteira terrestre e eliminar 11 postos militares de fronteira até ao final do ano.

Comments

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, foi reeleito hoje como presidente do Partido Liberal Democrático (PLD), abrindo caminho para mais um mandato de três anos à frente do governo nipónico.

Nas eleições internas do PLD realizadas hoje, Abe, de 63 anos, venceu facilmente o ex-ministro da Defesa, Shigery Ishida, que tentou desafiar o poder que o primeiro-ministro tem vindo a acumular há seis anos.

O governante obteve 553 votos contra os 254 de Ishida.

Abe liderou o governo japonês por menos de um ano, entre 2006 e 2007, e assumiu de novo o cargo a partir de 26 de Setembro de 2012, sendo já o terceiro primeiro-ministro com mandato mais longo desde a Segunda Guerra Mundial.

Comments

O PARLAMENTO sul-africano deve procurar introduzir uma nova legislação relativa a posse e consumo da cannabis, depois que Tribunal Constitucional do país decidiu na terça-feira descriminalizar o uso privado desta droga.

“ (…) Não será um delito criminal uma pessoa adulta usar ou estar na posse de cannabis em espaço privado”, declarou o juiz Raymond Zondo, lendo o veredito da mais alta instância judiciária do país, baseada em Joanesburgo.

O Tribunal deu ao Parlamento 24 meses para actualizar a legislação relativa à marijuana para estar em consonância com a sua decisão.

O Parlamento disse que estava na posse do acórdão e que suas “estruturas pertinentes tomariam uma decisão sobre o assunto para dar efeito ao acórdão ".

"O Parlamento toma nota do acórdão do Tribunal Constitucional sobre a utilização em privado da cannabis e o período de 24 meses dentro do qual o legislador nacional deverá rectificar defeitos constitucionais no acto de drogas e tráfico de drogas de 1992 e 1992 e a Lei de Controlo de Medicamentos de Substâncias Relacionadas de 1965”, disse numa declaração a Assembleia.

"Isso poderá implicar a apresentação de uma nova lei. Como alternativa, o Executivo, que foi parte no litígio, poderia apresentar um novo projecto de lei para dar efeito à ordem judicial", acrescenta a declaração.

O Parlamento prometeu consultas públicas durante a elaboração da nova legislação sobre a cannabis.

Uma das questões que o Parlamento terá de esclarecer é exactamente o quanto de soruma uma pessoa pode legalmente ter na sua posse para uso pessoal.

Entretanto, com eleições gerais marcadas para o início do próximo anos, a elaboração da nova lei deverá ser tarefa do Parlamento a sair desse escrutínio - NEWS24

 

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction