Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 362

Pelo menos 20 pessoas morreram e cerca de duas mil estão contaminadas devido a um surto de cólera que afecta a cidade e arredores de Harare, a capital do Zimbabwe.

A situação levou a que as autoridades governamentais decretassem, esta terça-feira, emergência sanitária na cidade e bairros suburbanos.

O consumo de água contaminada pode estar na origem do surto da doença, segundo as autoridades sanitárias.

“Não queremos mais mortes. Decretamos o alerta para combater a cólera e febre tifóide e outras doenças”, disse o Ministro da Saúde, Obadiah Moyo, falando à imprensa após visitar um hospital que acolhe os pacientes em Harare.

O surto terá começado nos subúrbios de Glen View e Budiriro, segundo fontes do Conselho Municipal de Harare, que presumem que fugas num esgoto terão contaminado água de furos comunitários que abastecem os moradores.

Harare, assim como outras cidades e povoados do país, debate-se com o crónico problema de escassez de água potável, o que obriga os habitantes a usar água de poços e outras fontes não protegidas.

As autoridades sanitárias proibiram a venda de carne e de produtos do mar nas áreas afectadas para evitar a propagação da doença. Alguns estabelecimentos de ensino suspenderam as aulas como medida de precaução.

Por outro lado, o governo zimbabweano solicitou ajuda às Nações Unidas e empresas privadas para providenciarem água potável nas regiões afectadas.

Entre 2008 e 2009 ocorreu uma epidemia de cólera na história do Zimbabwe que matou 4 mil pessoas em nove meses e contaminou mais de 90 mil outras.

A cólera é uma doença tratável que causa vómitos e diarreias agudas, mas pode ser letal se não for tratada a tempo.