Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 290

Alguns confrontos violentos marcaram ontem as manifestações em França de dezenas de milhar de "coletes amarelos", que pelo décimo sábado consecutivo saíram às ruas, apesar do “grande debate” nacional iniciado pelo Presidente Emmanuel Mácron, visando apaziguar os ânimos.

Cerca de 84 mil "coletes amarelos" manifestaram em toda a França, segundo dados do Ministério do Interior, tendo-se registado alguns confrontos violentos, nomeadamente, em Bordéus, no sudoeste do país.

Em Paris, a mobilização foi, ligeiramente, abaixo da participação em manifestações anteriores, sete mil manifestantes, contra oito mil, no último sábado, segundo a mesma fonte.

A contagem das autoridades é contestada pelos manifestantes desde o início deste movimento social sem precedentes, iniciado a 17 de Novembro passado.

"Renúncia de Macron!" era uma das palavras de ordem que se ouviu, segundo notícia a AFP, que dá conta de alguns confrontos na zona dos Invalides, tendo a Polícia usado canhões de água e gás lacrimogéneo.

Confrontos mais fortes ocorreram fora da capital, nomeadamente, em Bordéus, onde, à margem de uma manifestação de 4.000 pessoas, rapazes mascarados e bem organizados, usando cortadores de disco e martelos, desenterraram pedras do pavimento para servirem como projéteis, segundo a AFP.

Em Bordéus, pelo menos cinco carros foram queimados e as forças policiais realizaram 49 detenções.

Confrontos com alguma violência registaram-se Angers (oeste), Rennes (oeste), em Ruão (noroeste), Caen (noroeste) Nancy (leste), Lyon (centro-leste), e Toulouse (sudoeste), onde se manifestaram dez mil pessoas, segundo a polícia.