De vez em quando: Força, Comiche, Maputo não é “dumba-nengue”  (Alfredo Macaringue)

 

 

FIQUEI particularmente sensibilizado quando Eneas Comiche, o “Mayor” da cidade de Maputo, disse há dias que o município tem regras, “não podemos permitir que cada um faça o que quer a seu bel-prazer”. Foi mais ou menos nestes termos que o “velho” se pronunciou. Bati palmas, afinal o “madala” está mais do que lúcido.

Hortêncio Langa canta lindamente esta cidade, na sua canção dizendo que “quem te abraça não te larga mais”. Mas da maneira como Maputo está hoje, acredito que muitos se sentem repelidos porque na verdade isto é uma desordem. Uma bagunça! É uma anarquia onde os “chapeiros” e  os vendedores-ambulantes assumem o maior protaganismo. Não podemos andar à-vontade nos passeios construídos exactamente para nos dar liberdade nos nossos movimentos. Porque eles – os passeios – tornaram-se em bazares de ocasião.

Não é novidade tudo isto que estou aqui a dizer, mas é preciso repetir. Aliás estou a fazer isso seguindo as peugadas de Comiche, um homem que era dado como “morto” pelos detractores. As pessoas diziam que um homem com oitenta anos não era capaz de nada, porque com essa idade é propenso à senilidade. Mas o bom do Comiche está a desmentir todos os vaticínios dos seus “inimigos”. E entra logo a “matar” como nos tempos do Matateu.

Estou nas bancadas a aplaudir. Se tivesse dinheiro encomendava vuvuzelas da África do Sul para distribuí-los por todos os urbanos. O problema é que há muita gente que vive na cidade, mas que de urbanidade não tem nada. Incluindo meninos bonitos licenciados em grandes escolas e transportados em carrões, e que assim mesmo deitam cascas de banana e vasilhames de cerveja na rua sem olharem para trás. Accionam os volumes ao máximo dentro das suas viaturas como se toda a cidade fosse uma discoteca. Etc, etc.

As mamanas do Zimpeto, por exemplo, não podem vir aqui dizer que foram apanhadas de surpresa. Não! Há muito que foram avisadas, mas trataram de fazer tudo aquilo na normaldade, como se a lei as protegesse. Que elas entrem nos mercados que o município construiu. Não podemos continuar a viver numa urbe como se estivéssemos na aldeia. Mesmo na aldeia há regras. Os “chapeiros” pensam que a cidade é da “Joana”, por isso podem fazer dela o que querem. Não pode ser. Chega!

Força, Comiche ! “Avança não há recua”. Eu sei que não preciso de dizer ao “madala” que “lá dentro” há muitos que não gostam dele por ser um homem íntegro. Ele sabe disso. Eneas Comiche não é nenhuma criança. E também não está obsoleto. Conhece muito bem o tamanho da agulha e a qualidade da linha com que se coze a cidade de Maputo. Ele é uma pessoa sobretudo civilizada. E quando estamos diante de uma pessoa assim, não nos resta mais nada senão aplaudir.

Força, meu irmão. Haverá muitos a querer sabotar o seu trabalho, mas pelo menos comigo pode contar.

A Luta Continua !

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction