Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

Opinião

Politica

O segundo vice-presidente da Assembleia da República, o deputado Younusse Amad, disse quinta-feira, em Maputo, que em Moçambique existem pessoas com deficiência economicamente ...

quarta, 09 janeiro 2019
Leia +

Economia

A Plataforma Integrada dos Serviços ao Cidadão (e-BAU) apenas cobre quarenta distritos dos 150 existentes no país, com destaque para os das capitais provinciais com elevado ...

sábado, 23 junho 2018
Read more
Pub
SN

Desporto

O FERROVIÁRIO de Maputo, líder da prova, joga esta tarde no reduto do Textáfrica, campo da Soalpo em Chimoio, onde vai testar o seu poderio, atendendo e considerando que o ...

sábado, 23 junho 2018
Leia +

Nacional

O Conselho Municipal da cidade de Pemba, capital da província de Cabo Delgado, garante que, finalmente, dispõe de fundos, cerca de 60 milhões de meticais, para a ...

sábado, 23 junho 2018
Leia +

Os Recenseamentos da População e Habitação são operações estatísticas que têm como finalidade principal a recolha de dados sobre os cidadãos, nomeadamente o número das pessoas que vivem num determinado país, a sua idade, sexo, grau de parentesco, línguas faladas, religiões professadas, entre outros aspectos. Pretende-se igualmente com os censos, recolher informação sobre os locais onde essas pessoas vivem, bem como sobre as condições em que vivem, nomeadamente o tipo de casas onde vivem, os locais onde se abastecem de água para consumo, etc.

Geralmente, o recenseamento da população e habitação é realizado, em muitos países, em períodos decenais. Noutros, é realizado quinquenalmente. As opções para decénios nuns casos, e quinquénios noutros, baseiam-se em critérios determinados pela realidade específica de cada um. Em Moçambique, os censos da população e habitação são realizados de dez em dez anos. O primeiro teve lugar em 1980, o segundo em 1997. O último, o terceiro, teve lugar em 2007.

Os dados dos censos da população e habitação são de vital importância para o desenho das políticas públicas por parte dos governos e para a planificação do desenvolvimento sócio-económico, em geral.

Decorridos 10 anos após o último, Moçambique está a realizar neste momento o quarto censo. Provavelmente muita gente poderá estar a questionar a pertinência da realização do presente censo, uma vez que o Instituto Nacional de Estatística (INE) realizou, nos últimos anos, vários inquéritos que trouxeram à superfície, informação relevante sobre a população e suas condições de vida.

Entre essas operações, poderão citar, por exemplo, o Inquérito Demográfico e de Saúde e o Inquérito aos Agregados Familiares sobre as condições de vida, entre outras pesquisas. Ora, como se sabe, a informação que é recolhida durante os inquéritos é de natureza limitada; pois, retrata apenas situações específicas de cada grupo populacional abrangido, mesmo tendo em conta que (os inquéritos) são desenhados para respeitarem o princípio da representatividade de todos os extractos sociais do país.

Os censos de população e de habitação são as únicas operações estatísticas abrangentes, durante os quais se procura recolher toda a informação sobre a vida sócio-económica dos residentes de um determinado país. Por sua vez, e por definição, os inquéritos são de natureza limitada, abrangendo grupos representativos da população, através da teoria de amostra. Não recolhem, por isso, dados sobre a evolução global do tecido demográfico do país; não recolhem dados sobre a evolução global do parque habitacional (construções, tipo de habitações, materiais empregues na sua edificação, etc). Não recolhem os dados sobre a evolução e distribuição espacial das infra-estruturas sociais e económicas, etc.

Portanto, os censos populacionais abrangem “todo o mundo” sem excepção. Aqui não entra a teoria da amostragem. O registo é feito de casa em casa. Durante os censos populacionais todas as pessoas são registadas. São, pois, estas as principais razões que determinam a necessidade e pertinência da realização de censos populacionais. São também estas razões que “delimitam” a diferença entre uma e outra operação.

Para além do que acima foi referido, vale a pena sublinhar, para substanciar a importância dos censos que, quer em cinco anos, quer em dez anos, muita coisa se transforma nas sociedades. E, essas mutações, na verdade estruturais, determinam, como não poderia deixar de ser, a redefinição de objectivos, estratégias e prioridades nos planos de desenvolvimento sócio-económico. De facto, perante evidências incontornáveis, os governos, os empresários, as organizações de apoio aos programas sociais, a academia, entre outros actores, são obrigados a adaptarem os seus planos, os seus projectos, à realidade trazida pelos censos. Reside, pois, aqui, a importância dos censos populacionais.

Marcelino Silva - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Sábados

TEMA DE ...

É um facto que as autoridades municipais, há anos, enfrentam ...

...

A INFÂNCIA e a arte são universos muito próximos. ...

Conselho de administração

Presidente: Bento Baloi

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

Siga-nos

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction