Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

A COMISSÃO Nacional de Eleições (CNE) anunciou ontem, em acto solene e público, os resultados da centralização e do apuramento geral das eleições autárquicas realizadas a 20 de Novembro em 52 municípios do país, que confirmam o partido Frelimo e os seus candidatos como os grandes vencedores.

Com efeito, segundo os resultados divulgados pelo órgão, na pessoa do seu presidente, Abdul Carimo Sau, a nível das assembleias municipais, o partido Frelimo possui maioria de assentos, com excepção dos municípios da cidade da Beira e Quelimane. O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) ocupa o segundo lugar e está representado em todas as assembleias municipais, menos nos municípios de Nhamayabuè, na província de Tete, e Macia, em Gaza.

A nível da presidência, os candidatos do partido no poder venceram em todos os municípios, menos nas cidades da Beira e Quelimane, onde os candidatos do MDM, nomeadamente Daviz Simango e Manuel de Araújo, foram declarados ganhadores.

Em termos de assentos nas assembleias municipais, o partido Frelimo possui 26 mandatos no município de Lichinga, 17 em Cuamba, nove em Mandimba, 12 em Murrupula e 11 em Metangula, na província do Niassa. Em Cabo Delgado, a formação política no poder possui 29 mandatos no município de Pemba, 16 em Mocímboa da Praia, 27 em Montepuez, 14 em Chiure e 15 em Mueda.

Em Nampula, a Frelimo conseguiu 23 assentos em Angoche, 15 na Ilha de Mocambique, 15 em Monapo, 11 em Malema, 35 em Nacala-Porto e 10 mandatos em Ribáuè, enquanto na província de Tete conquistou 26 mandatos no Município da Cidade de Tete, 15 em Moatize, 8 em Ulónguè e 13 em Nhamayabuè.

Na província da Zambézia, o partido Frelimo conseguiu 13 mandatos no município de Quelimane, contra 26 do MDM; nove assentos em Alto Molócuè; 11 em Gurué; sete em Milange; oito na Maganja da Costa e 16 em Mocuba.

Na província de Manica conquistou 21 mandatos no Município da Cidade de Chimoio, 11 em Gondola, 12 em Sussundenga, 15 no município de Manica e 10 em Catandica.

Em Sofala, o partido no poder arrecadou 14 mandatos na cidade da Beira, contra 30 do MDM, 17 no Dondo, sete em Gorongosa, oito em Nhamatanda e 10 em Marromeu.

Na província de Inhambane conquistou 17 mandatos no município da cidade capital, nove na Massinga, 23 na Maxixe, 14 em Vilankulo e 11 em Quissico.

Em Gaza conseguiu 31 assentos no Município da Cidade de Xai-Xai, 12 na Praia do Bilene, 16 em Chibuto, 15 no Chókwè, 12 em Manjacaze e 13 na Macia. Na província de Maputo conquistou 29 assentos na Assembleia Municipal da Cidade da Matola, 24 em Boane, 17 na Manhiça e 11 na Namaacha.

No Município da Cidade de Maputo, o partido Frelimo arrecadou 37 mandatos, contra 27 do Movimento Democrático de Moçambique.

O MDM conseguiu 13 mandatos no município de Lichinga, quatro em Cuamba, quatro em Mandimba, um em Marrupa e dois em Metangula, isto na província do Niassa. Em Cabo Delgado, o partido liderado por Daviz Simango conquistou 10 mandatos no município de Pemba, um em Mocímboa da Praia quatro em Montepeuez, dois em Chiure e dois em Mueda.

Em Nampula, o MDM conquistou um mandato em Angoche, contra sete da ASSEMONA. Na Ilha de Moçambique conseguiu dois mandatos, seis em Monapo, dois em Malema, quatro em Nacala-Porto e três em Ribáuè. Na província de Tete, conquistou 13 mandatos no Município da Cidade de Tete, seis em Moatize e cinco em Ulónguè.

Na Zambézia, o partido do galo conseguiu oito assentos em Alto Molócuè, 10 em Gurué, seis em Milange, cinco na Maganja da Costa e 15 em Mocuba. Na província de Manica, o MDM conquistou 19 lugares na Assembleia Municipal da Cidade de Chimoio, seis em Gondola, um em Sussundenga, dois no município de Manica e três em Catandica.

Na província de Sofala conseguiu arrecadar quatro no município do Dondo, seis em Gorongosa, cinco em Nhamatanda e sete em Marromeu. Em Inhambane, conquistou quatro assentos no município da cidade capital, quatro em Massinga, oito na Maxixe, três em Vilankulo e dois em Quissico.

Na província de Gaza, a formação política com o símbolo do galo conseguiu oito mandatos no Município da Cidade de Xai-Xai, um na Praia do Bilene, um em Chibuto, dois em Chókwè e um em Manjacaze. Na província de Maputo, o MDM conseguiu 24 mandatos no Município da Cidade de Maputo, contra 29 do partido Frelimo; sete em Boane; quatro da Manhiça e dois na Namaacha.

Refira-se que na província do Niassa a Assembleia Municipal de Lichinga possui 39 mandatos, Cuamba 21, Mandimba 13, Marrupa 13 e Metangula 13. Em Cabo Delgado, o município de Pemba possui 39 mandatos, Mocímboa da Praia 17, Montepuez 31, Chiure 17 e Mueda 17.

Em Nampula, o município de Angoche possui 31 assentos, 17 para Ilha de Moçambique, Monapo 21, Malema 13, Nacala-Porto 39 e Ribáuè 13. Na província de Tete, o Município da Cidade de Tete possui 39 mandatos, Moatize 21, Ulónguè 13 e Nhamayabuè 13.

Na Zambézia, o município de Quelimane possui 39 assentos, Alto Molócuè 17, Gurué 21, Milange 13, Maganja da Costa 13 e Mocuba 13. Na província de Manica, o Município da Cidade de Chimoio possui 40 mandatos, Gondola 17, Sussundenga 13, município de Manica 17 e Catandica 13.

Em Sofala, o Município da Cidade da Beira possui 44 mandatos, Dondo 21, Gorongosa 13, Nahamtanda 13 e Marromeu 17. Na província de Inhambane, o município da cidade capital possui 21 assentos, Massinga 13, Maxixe 31, Vilankulo 17 e Quissico 13.

Em Gaza, o Município da Cidade de Xai-Xai possui 39 mandatos, Praia do Bilene 13, Chibuto 17, Chókwè 17, Manjacaze 13 e Macia 13. Na província do Maputo, o Município da Cidade da Matola possui 53 assentos, Vila de Boane 31, Manhiça 21 e Namaacha 13. A cidade de Maputo possui 64 mandatos.

No que diz respeito à presidência do conselho municipal, foram eleitos por parte do partido Frelimo, na província do Niassa, os candidatos Saíde Amido, para Lichinga; Vicente da Costa Lourenço, para Cuamba; Sara Mustafa, para Metangula; Victor Sinóia, para Mandimba; e Marta da Anunciação Romeu.

Em Cabo Delgado foram eleitos Tagir Ássimo Carimo, para Pemba; Fernando Abel Neves, para Mocímboa da Praia; Cecílio Anli, para Montepuez; Casimiro Portugal Guarda, para Chiure; e Cristiano Patrício André, para Mueda.

Em Nampula foram eleitos Américo Assane Adamugi, para Angoche; Saíde Abdurremane Amur Gimba, para Ilha de Moçambique; Ângelo Jerónimo Fonseca, para Malema; João Luís, para Monapo; Rui Chong Saw, para Nacala-Porto; e Constantino António, para Ribáuè.

Na Zambézia foram eleitos para presidente do conselho municipal Sertório João Mário Fernando, para Alto Molócuè; Jahandir Hussen Jussub, para Gurué; Virgílio Agostinho Gabriel Dinheiro, para Maganja da Costa; Felisberto Enias Jefure Mvua, para Milange; e Beatriz Júlio Ferreira Gulamo.

Em Tete foram eleitos Celestino António Checanhanza, para a cidade de Tete; Carlos Portimão, para Moatize; Armando Maria Pereira Júlio, para Ulónguè; e Alberto Salifu Amade, para Nhamayabuè.

Na província de Manica, foram eleitos por parte do partido no poder Raul Conde Marques Adriano, para o Município da Cidade de Chimoio; Tomé Alfandega Maibeque, para Catandica; Eduardo Gimo, para Gôndola; Raimundo Manuel Quembo, para o município de Manica; e Venâncio Chacai Veremo, para Sussundenga.

Em Sofala foram eleitos Castigo Xavier Chiutar, para Dondo; Moreze Joaquim Cauzande, para Gorongosa; Palmeirim Canotilho Rubino, para Marromeu; e Manuel Olesse Jasse, para Nhamatanda, enquanto em Inhambane foram eleitos Benedito Eduardo Guimino, para a cidade capital; Clemente Boca, para Massinga; Simão Rafael, para Maxixe; Abílio Manuel Machado, para Vilankulo; e Abílio José Paulo, para Quissico.

Já na província de Gaza foram eleitos Ernesto Daniel Chambisse, para a cidade de Xai-Xai; Francisco Soares Mandlhate, para Chibuto; Lídia Frederico Cossa Camela, para Chókwè; Reginaldo Paulino Mariquele, para Macia; Maria Helena José Correia Langa, para Manjacaze; e Mufundisse Nhamboze Chilengue, para Praia do Bilene.

E na província de Maputo foram eleitos Calisto Moisés Cossa, para a cidade da Matola; Luís Jossias Munguambe, para Manhiça; Jorge Rafael Tinga, para Namaacha; e Jacinto Lapido Loureiro, para Boane. Na cidade de Maputo foi eleito David Simango.

Inscreveram-se para as eleições autárquicas 18 concorrentes, nomeadamente o Partido Trabalhista (PT), para a Assembleia Municipal da Cidade de Maputo; o Partido Frelimo, para o cargo de presidente do Conselho Municipal e à Assembleia Municipal nas 53 autarquias locais; o MDM, para o cargo de presidente do Conselho Municipal e à Assembleia Municipal nas 53 autarquias; o partido PIMO, para a Assembleia Municipal de Gôndola; o PDD, para as assembleias municipais das cidades de Nampula, Milange, Marromeu, Matola e Maputo cidade; o PARENA, para aa assembleias municipais das cidades de Quelimane, Beira, Matola e Maputo; e o MPD, para as assembleias municipais das cidades de Maputo e Matola e vilas de Boane e Namaacha.

Inscreveram-se ainda os partidos PVM, para as assembleias municipais das cidades de Maputo e Matola; o PEC-MT, para presidente do Conselho Municipal da Cidade da Matola e à Assembleia Municipal da Cidade de Maputo; o PPLM, para as assembleias municipais de Matola, Boane e Maputo; e o partido ALIMO, para a Assembleia Municipal da Cidade de Maputo.

A nível de grupos de cidadãos eleitores proponentes, inscreveram-se o JPC, para a Assembleia Municipal da Cidade de Maputo; a AAUPEC, para o cargo de Presidente do Conselho Municipal de Chiure e à Assembleia Municipal do mesmo município; NATURMA, para Presidente do Conselho Municipal e à Assembleia Municipal da Vila da Manhiça; a ASTROGAZA, para o cargo de Presidente do Conselho Municipal da Macia; o PAHUMO, para Presidente do Conselho Municipal e à Assembleia Municipal de Nampula, Pemba e Montepuez; a CINFORTÉCNICA, para a Assembleia Municipal da Cidade de Maputo; e a ASSEMONA, para Presidente do Conselho Municipal de Nampula, Angoche, Monapo e Ribáué, e às assembleias municipais de Nacala-Porto, Nampula, Angoche, Monapo e Ribáuè.

Para as eleições autárquicas deste ano, foram inscritos 3.590.794 eleitores (85,04 por cento) de um universo de 3.598.003 novas inscrições.

FRELIMO SATISFEITA  - SÉRGIO PANTHIE, MANDATÁRIO DO PARTIDO NO PODER

NO final do anúncio dos resultados, o mandatário do partido Frelimo, Sérgio Panthie, expressou satisfação da formação política no poder pela vitória conquistada em todos os municípios, com excepção da Beira e Quelimane, cujas presidências estão nas mãos do MDM.

Considerou a redução de assentos em alguns municípios, a exemplo de Maputo e Beira, como sendo um fenómeno normal em jogo democrático. Sérgio Panthie afirmou que a vitória do partido Frelimo é fruto da liderança do Presidente Armando Guebuza e do trabalho realizado pelos membros e simpatizantes.

Disse que o Governo da Frelimo está comprometido com o povo moçambicano, daí que não vai recuar nas suas acções de investimento, no âmbito do seu programa, nos municípios onde perdeu. Indicou que o partido já começou a preparar-se para a vitória do próximo ano.

Negou as acusações do MDM segundo as quais o partido Frelimo enveredou por fraude. Segundo o mandatário, não é cultura do partido recorrer à fraude em processos democráticos. Aliás, Sérgio Panthie disse que quem cometeu fraude e violência foi o próprio MDM.

PARTICIPAÇÃO EM GRANDE -  JOSÉ DE SOUSA, DO MDM

O MDM considera que a sua participação nas eleições autárquicas foi em grande, facto que é traduzido pelos resultados que obteve, apesar de, segundo o seu mandatário, José de Sousa, ter havido falseamento de dados.

Segundo a fonte, os resultados do partido foram falseados nos municípios de Chimoio, Milange, Mocuba, Gorongosa, Gurué, Dondo, Marromeu e Alto Molócuè. Em face disso, afirmou, o partido vai usar dos meios necessários para recorrer ao Conselho Constitucional.

Garantiu que o MDM nunca deixará de participar regularmente nos processos eleitorais do país e já começou a preparar-se para “o embate do próximo ano”.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction