Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 546

CELEBROU-SE ontem em todo o país a passagem dos 44 anos da assinatura dos Acordos de Lusaka, na Zâmbia, que abriram caminhos para a proclamação da independência nacional a 25 de Junho de 1975, colocando fim à dominação colonial em Moçambique. Nesta data são recordados os feitos dos combatentes que deram o seu melhor e sacrificaram a sua vida pela causa dos moçambicanos, o que deve ser reconhecido e recordado como um legado a preservar de todas as formas. Correr em busca da paz efectiva para o país, engajar-se no trabalho e outras formas de exaltar a moçambicanidade devem ser consideradas como orgulho pela independência conquistada com sacrifício e determinação pelos jovens de 25 de Setembro. Participar massivamente nas próximas eleições autárquicas é outra forma que os moçambicanos residentes nas zonas municipalizadas podem encontrar para imortalizar os combatentes, valorizando assim a possibilidade de determinarem o seu futuro com a escolha do melhor programa de governação local. Apelos nesse sentido foram comuns nos discursos de ocasião e nas opiniões dos cidadãos que consideram ser tempo de os moçambicanos deixarem de se digladiarem e aceitarem as diferenças como fonte de crescimento e de desenvolvimento de valores. Leia mais