Imprimir
Categoria: Recreio e Divulgação
Visualizações: 1037

A BIBLIOTECA Nacional de Moçambique (BNM), na baixa da cidade de Maputo, celebra hoje 54 anos de existência como instituição dedicada ao tratamento, preservação e divulgação do património documental nacional e não só.

As celebrações do 54.º aniversário da biblioteca serão marcadas por várias actividades a serem testemunhadas por diversas individualidades, entre as quais o Ministro da Cultura e Turismo, Silva Dunduro.

Do rol das acções previstas para este dia destaca-se uma feira do livro ao ar livre que decorre desde quarta-feira em frente à BNM, apresentação do livro “Pneus em Chama”, o mais recente do escritor Jorge de Oliveira, e ainda uma reflexão sobre o “Papel das Bibliotecas Públicas no Contexto da Sociedade de Informação: Desafios para Moçambique”. 

Estão ainda previstas visitas guiadas às instalações da Biblioteca Nacional de Moçambique bem como explicações sobre o funcionamento, perspectivas para o seu desenvolvimento e intervenções, entre as quais a do ministro da Cultura e Turismo.

Uma nota da BNM refere que a comemoração do 54.º aniversário ocorre num momento em que o Governo aprovou em Maio deste ano o Decreto do Depósito Legal com o objectivo de preservar a memória documental nacional, produzir estatísticas da produção documental nacional e enriquecer o acervo bibliográfico das bibliotecas públicas.

Esta data assinala-se ainda no momento da modernização da BNM, que inclui a criação de uma base de dados informatizada e digitalização do seu acervo bem como no estabelecimento de parcerias para a criação de uma rede nacional de bibliotecas públicas e comunitárias com vista à promoção da literacia nas camadas juvenis, com especial atenção para as crianças e jovens das comunidades rurais.

O aniversário da BNM é celebrado sob o lema “Biblioteca Nacional de Moçambique: 54 Anos Tratando, Preservando e Divulgando o Património Documental Nacional”, uma reflexão à missão desta instituição.

Subordinada ao Ministério da Cultura e Turismo, a Biblioteca Nacional de Moçambique foi criada através do Diploma Legislativo número 2116 de 28 de Agosto de 1961. O edifício onde funciona foi construído em 1904 e até 1960 funcionavam os Serviços da Fazenda Colonial. Somente em1961 passou a albergar a BNM.

Durante os 54 anos a BNM passou por várias fases, podendo se destacar a fase que foi gerida por quadros na sua maioria de nacionalidade portuguesa. Com a independência nacional de Moçambique houve fuga desses técnicos e as suas actividades foram suspensas. Reabriu ao público em 1978 com uma nova estrutura.

Neste momento a BNM possui uma rede nacional de bibliotecas públicas constituídas por 10 bibliotecas distribuídas em cada capital provincial, com excepção da cidade de Maputo, que funciona com uma biblioteca municipal. Também possui 50 bibliotecas públicas distritais.