AS autoridades da Saúde, no Niassa, devem mais de sete milhões e setecentos mil Meticais a mil e duzentos profissionais em horas extraordinárias, urgências e senhas de presença.

O facto foi dado a conhecer pelo director do Hospital Provincial de Lichinga, Paulino Muarapaz, durante a apresentação do seu informe ao governador Arlindo Chilundo, no âmbito da visita que este efectuou àquela unidade sanitária.

Muarapaz explicou que o sector está a enfrentar dificuldades relacionadas com o pagamento de subsídios desde Junho do ano passado.

Esclareceu que mais de cinco milhões de Meticais, do total da dívida, diz respeito a horas extraordinárias, enquanto a outra parte está ligada ao pagamento de trabalhos de urgências e senhas de presença.

O valor em causa, de acordo com a nossa fonte, já foi enviado à Direcção Provincial de Economia e Finanças, esperando-se que, a qualquer momento, se faça o respectivo desembolso.

No terreno, os trabalhos decorrem sem grandes sobressaltos, uma vez que, segundo Muarapaz, os funcionários estão a par das dificuldades financeiras que o país atravessa.

Por seu turno, o director provincial deSaúde, no Niassa, José Manuel, explicou que a maior parte do valor devido tem a ver com o alojamento e alimentação de novos profissionais colocados em diversos distritos da província, a mais extensa do país.

Garantiu que esforços estão a ser feitos no sentido de evitar novas dívidas com a implementação de novas políticas de admissão de profissionais de Saúde, que passam pela redução de despesas relacionadas com o alojamento e alimentação.

Afirmou que a partir deste ano a colocação de profissionais de Saúde será feita por via de concurso para permitir que o Estado se liberte das despesas de alojamento e alimentação.

Num outro desenvolvimento, José Manuel anunciou que a dívida acumulada poderá ser liquidada através de amortização gradual e a longo prazo, sem prejuízo do pagamento de salários e subsídios. 

 

Mais recentes

Breves

Editorial

Editorial
Sexta, 18 Agosto 2017
A NOTÍCIA sobre a suspensão da importação, pela Índia, do feijão-bóer caiu que nem uma bomba para todos quanto investiram na cadeia de valor deste produto, por terem acreditado que se estava perante uma grande oportunidade para ter algum rendimento. Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Nampula em foco: Tijolo a tijolo Murrupula vai...
Quinta, 17 Agosto 2017
O DISTRITO de Murrupula, na província de Nampula, está a implementar um programa de massificação de uso de tijolo queimado na construção de infra-estruturas, com destaque para habitações da população, escolas, unidades sanitárias e estabelecimentos comerciais, facto que se reflecte na mudança da vida do distrito. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,73 61,93
ZAR 4,52 4,61
EUR 71,32 72,73

08.08.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ alguns anos que tenho tido o privilégio de fazer a cobertura das ...
2017-08-18 23:30:00
NA próxima quarta-feira os angolanos vão a voto, naquilo será o ...
2017-08-18 23:30:00
HÁ dias meti o meu “flash” num computador da faculdade e todos ...
2017-08-18 23:30:00
A IMPRENSA moçambicana tornou público recentemente, a possibilidade de ...
2017-08-17 23:30:00
HOJE queremos, neste espaço, homenagear milhares de crianças ...
2017-08-16 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2146 visitantes em linha