LIVRO DE BENTO BALOI: “No Verso da Cicatriz” relançado na Fortaleza

0

O ROMANCE “No Verso da Cicatriz”, da autoria do escritor Bento Balói e chancelado pela Índico Editores, será relançada esta tarde na Fortaleza de Maputo.

A obra, a ser apresentada pelo académico e crítico de literatura Francisco Noa, é uma narrativa de amor praticamente impossível, que tem lugar nos diversos cantos do país, no contexto da guerra dos 16 anos, que vigorou entre o final da década de 1970 e princípios de 1990.

Neste sentido, o livro, que em Portugal saiu pela Alêtheia Editores, onde foi lançado em Setembro, durante a Feira do Livro de Lisboa, é baseado em factos da vida real e aborda a história de um casal apaixonado que vê os seus caminhos desencontrados por força das circunstâncias, que fazem nascer uma sequência de intrigas e mal-entendidos.

Fala de um tempo caracterizado por perseguições às Testemunhas de Jeová e da chamada “Operação Produção”, lançada no princípio dos anos 1980. É um drama sobre a guerra e a fome, que igualmente abre poucos espaços lúdicos e muitas tragédias.

A proximidade com a vida real é justificada pelo facto de Bento Balói ter primado pelo trabalho de campo, incluindo entrevistas e visitas aos lugares retratados na sua prosa, como o distrito da Moamba, província de Maputo, que introduz e conclui o romance.

“No Verso da Cicatriz” é o terceiro livro da carreira de Balói, nascido em Maputo em 1968, que também responde pelas obras “Arca de Não É” e “Recados da Alma”. Começou a publicar os seus textos na imprensa na década de 1980. Escreveu, dirigiu e interpretou papéis em diversas peças de teatro de palco e radiofónico. É também autor de bailados e um livro sobre as primeiras eleições gerais multipartidárias na história de Moçambique.

O lançamento desta tarde será abrilhantado pela música de Roberto Chitsondzo e leituras de Maria Pinto de Sá, que intervirá através de um vídeo gravado.

+ posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.