12.4 C
Maputo
Sexta-feira, 1 - Julho, 2022

ABASTECIMENTO DE ÁGUA: Há dinheiro para construir centro distribuidor do Estoril

+ Recentes

UM montante de 18.2 milhões de dólares norte-americanos já está disponível para a construção do novo centro distribuidor de água na zona do Estoril, arredores da cidade da Beira.

A informação foi avançada por Cremilda Sitole, directora do Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água (FIPAG), Área Operacional da Beira.

Esta infra-estrutura, erguida com financiamento do Banco Mundial, terá capacidade de abastecer cerca de 90 mil consumidores.

O empreendimento, considerado “grande sistema do abastecimento de água”, vai cobrir os consumidores dos bairros periféricos de Estoril, Chota, Matacuane, Macurungo, Muave e Manga e será composto por um reservatório de cinco mil metros cúbicos e uma torre de pressão de 500 metros cúbicos.

Na planta do projecto, cujo arranque das obras está previsto para o ano 2023, está descrito que será ainda erguida uma loja de conveniência, um centro de pré-tratamento de água, estação de bombagem que estará localizada na zona da Munhava e uma conduta adutora de seis quilómetros.

Para acelerar a concretização deste projecto, que visa suprir o problema do deficiente fornecimento do precioso líquido àqueles bairros de expansão, a direcção do FIPAG na Beira reuniu-se há dias com os consórcios responsáveis pela elaboração do projecto.

Segundo Cremilda Sitole, a empreitada está incorporada no projecto do abastecimento de água e apoio institucional, denominado WASIS-2, que, essencialmente, visa responder à actual demanda daquele precioso líquido.

O final das obras vai assim aumentar a fiabilidade e o volume do abastecimento de água de 50 mil para 60 mil metros cúbicos por dia, numa altura em que a distribuição média diária atingiu 13 horas de tempo.

Ainda neste ano, o FIPAG concentrou-se, particularmente na Beira, na melhoria da qualidade no fornecimento de energia eléctrica à estação de tratamento de água.

Também estão em curso ensaios no Centro Distribuidor de Água de Macúti previstos para serem concluídos até Dezembro próximo com vista a conter a demanda daquele líquido.

A directora do FIPAG na Beira explicou, igualmente, que grande parte das restrições no fornecimento de água está aliada a testes na torre de pressão.

O sistema de testagem inclui várias linhas do abastecimento de água àquela cidade tendo sido instaladas zonas de controlo de medição para se verificar as perdas.

Por outro lado, a fonte assegurou que foram renovados os equipamentos dos centros de tratamento de Dingue-Dingue e Mutua que passaram a ter novos grupos de electrobombas.

Foi também reabilitada a Estação de Tratamento de Água da Beira, um processo que consistiu na substituição de filtros para melhorar a qualidade deste líquido.

Deste modo, considera-se que o problema de água para consumo que neste momento grassa milhares de moradores da cidade da Beira já tem solução à vista, resultante dos esforços de financiamento do Governo de Moçambique em parceria com o Banco Mundial (BIRD).

Transferência das condutas

O FUNDO de Investimento e Património do Abastecimento de Água está envolvido num projecto que visa a transferência de condutas numa extensão total de 120 quilómetros.

A prioridade vai para os periféricos bairros de Nazaré, Inhamizua, Maraza, Munhava, Estoril, Manga-Mascarenhas, Manga-Mungassa, Manga-Loforte, Aeroporto e Régulo Luís.

Entretanto, o FIPAG continua a enfrentar desafios no combate à vandalização do sistema de abastecimento de água potável apesar de já se registarem algumas melhorias com a tomada de consciência por parte de muitos citadinos que já não optam pelas ligações clandestinas.

Para tal, está a contribuir a criação de facilidades de pagamento dos contratos através de um sistema a prestações.  

Por outro lado, Cremilda Sitole elogiou os órgãos de administração da justiça, concretamente o Ministério Público, que em caso da descoberta de qualquer infractor agem prontamente no processamento criminal dos indiciados.

Exemplo disso, soubemos junto daquela fonte que no ano passado foram autuados alguns prevaricadores que responderam criminalmente na barra do tribunal pelos seus actos.

“A intervenção da Procuradoria desmotiva em grande medida estes comportamentos e os resultados são bastante estimulantes e contribuem na auto-sustentabilidade do sector”, congratulou-se.  

O fornecimento de água às cidades da Beira e Dondo atinge uma média de 67 mil consumidores.

- Publicidade-spot_img

Destaques