Entidades doam bens para vítimas do terrorismo

0

MAIS de 1500 quilogramas de produtos alimentares diversos e vestuário usado foram doados, recentemente, às famílias assoladas pelos ataques terroristas em Cabo Delgado, pelos membros do Governo e outras entidades singulares e privadas sediados na Beira.

Falando em representação da Secretária de Estado da província de Sofala, o director do Gabinete, Eduardo Macário, explicou que alguns funcionários do Governo fizeram as suas contribuições como forma de ajudar aquelas famílias que tanto precisam, principalmente nesta época do natal e fim do ano.

“A campanha de solidariedade iniciou há bastante tempo ao mais alto nível e há uma embarcação denominada “Navio de Esperança”, que vai partir do Porto de Maputo a recolher as contribuições, passando pela Beira e Nacala para depois desembarcar em Cabo Delgado”, elucidou.

Macário usou ainda a oportunidade para exortar à população da cidade da Beira a unir-se para ajudar não só as vítimas do terrorismo que se encontram em Cabo Delgado mas também às que estão deslocadas em Sofala.

Por seu turno, o director Executivo adjunto da Cornelder de Moçambique, entidade gestora do Porto da Beira, António Libombo, agradeceu o apoio dos membros do Governo e destacou a solidariedade da população de Sofala mesmo com instabilidade política que enfrenta.

Libombo recordou que a iniciativa partiu do Ministério dos Transportes e Comunicações e foi acarinhada pelos portos do país através do navio que vai fazer o transporte dos produtos com objectivo de entregá-los à população de Cabo Delegado que sofre com os ataques dos insurgentes.

Fez saber que para além dos membros do Governo diversas instituições privadas, grupos de pessoas e singulares têm estado a trazer os seus apoios no armazém dos Caminhos de Ferro de Moçambique-Centro.

Sem revelar a quantidade já recolhida, Libombo manifestou, entretanto, a sua satisfação com as contribuições.

“Embora as contribuições tenham terminado no dia 17,vamos continuar a receber até amanhã, dia em que está prevista a chegada do navio ao Porto da Beira. Temos promessas de algumas instituições que ainda vão fazer as suas contribuições”, perspectivou.    

Aproveitou para agradecer à Comunicação Social por estar a divulgar a campanha de solidariedade porque, segundo reconheceu, sem a disseminação da mensagem não estariam a receber tantas contribuições.

+ posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.