ACIDENTE FERROVIÁRIO: Inicia desobstrução da linha Nampula-Cuamba

0

ARRANCARAM no fim-de-semana os trabalhos visando desobstruir a linha férrea de Nacala, interrompida sexta-feira última, na sequência de um acidente ocorrido em Massua, em Cuamba, Niassa, envolvendo um comboio de transporte de carvão.

Os trabalhos consistem na remoção de cerca de 40 vagões de uma composição que transportava 7.500 toneladas de carvão mineral, de Tete para o terminal multiuso de Nacala-a-Velha, em Nampula.

O comboio era composto por 120 vagões e quatro locomotivas.

O acidente provocou a morte de dois menores, cujos corpos foram a enterrar  na tarde de ontem. Os feridos graves, também em número de dois, foram transferidos sábado para uma unidade sanitária privada da capital do país, a fim de receberem cuidados mais especializados, segundo o administrador de Cuamba, João Manguige.

Os custos da evacuação, por via aérea, e de tratamento das vítimas do sinistro são suportados pela Nacala Logistic, firma que gere e opera o sistema ferroviário de Nacala, importante para as transacções com o vizinho Malawi.

Entretanto, acções coordenadas do governo distrital de Cuamba e a Nacala Logistic levaram à conclusão de que não desaparecidos, como foi anunciado momentos após o acidente que ocorreu na ponte sobre o rio Namutimbwa, junto ao qual se localiza uma lagoa artificial, onde um grupo de crianças se encontrava a refrescar-se, dadas as altas temperaturas que se faziam sentir. A conclusão de que não há desaparecidos baseou-se no facto de não ter havido reclamação por parte das famílias das comunidades à volta. Receava-se que 20 pessoas tivessem ficado soterradas pelo carvão mineral que era transportado nos vagões tombados.

A circulação de comboios entre as cidades de Nampula e Cuamba ficará interrompida por tempo indeterminado, porquanto será necessário construir uma nova ponte sobre o rio Namutimbwa que ficou danificada no momento do desastre.

+ posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.