25 C
Maputo
Sexta-feira, 20 - Maio, 2022

NOS PRÓXIMOS QUATRO MESES: Saúde prevê vacinar cinco milhões de pessoas

+ Recentes

A SAÚDE prevê vacinar contra a Covid-19 mais de cinco milhões de pessoas, nos próximos quatro meses, o que elevará a cobertura nacional de 90 por cento dos elegíveis.

A informação foi partilhada por Quinhas Fernandes, director nacional de Saúde Pública, no Ministério da Saúde, falando do actual processo de imunização contra esta doença, que decorre à escala nacional.

A iniciativa faz parte da materialização do plano nacional de vacinação que prevê a imunização completa de 17 milhões de indivíduos, em todo o país.

Em Moçambique, o processo de vacinação contra a Covid-19 iniciou em Março de 2021. De lá até então, acima de 10.7 milhões de pessoas já tomaram a vacina contra esta enfermidade.

Destes, mais de nove milhões completaram o ciclo vacinal primário, isto é, apanharam as duas doses recomendadas ou a dose única, para o caso da vacina da Johnson & Johnson, o equivalente a taxa de vacinação nacional de quase 60 por cento.

De momento, a Saúde está a vacinar todos os indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos e apela os abrangidos que não tenham sido vacinados para que se desloquem a qualquer posto de vacinação mais próximo a fim de tomar o imunizante.

Este processo decorre em simultâneo com a administração da dose de reforço para os grupos populacionais considerados de alto risco para a contaminação da Covid-19 que tenham completado a vacinação há mais de seis meses.

Nesta fase, serão imunizados os profissionais de saúde com idades entre 30 e 45 anos, idosos residentes em lares de acolhimento, doentes imunodeprimidos ou em terapia imunodepressora.

Segue depois os idosos com idade igual ou superior a 60 anos vivendo em zonas urbanas e, por último, pessoas desta faixa residentes em áreas rurais.

Segundo Fernandes, a dose de reforço está a ser administrada nos postos de vacinação previamente instalados e através de brigadas móveis. Assim, os elegíveis devem se dirigir aos mesmos locais onde receberam a primeira e/ou a segunda dose e caso estejam fora deste local, podem tomar a vacina no posto de imunização mais próximo. “Este processo é dinâmico. Nos próximos dias continuaremos a providenciar informação adicional, de modo que a administração da dose de reforço decorra sem sobressaltos”, sublinhou Fernandes.

- Publicidade-spot_img

Destaques