21.6 C
Maputo
Sexta-feira, 20 - Maio, 2022

UTOMI”: Stewart Sukuma celebra 40 anos de carreira

+ Recentes

O conceituado músico moçambicano, Stewart Sukuma, lançou ontem (terça-feira) “Utomi”, uma música (afro house) que faz parte de um EP com 5 músicas que serão apresentadas ao público sequencialmente, nas próximas semanas. O projecto serve de pretexto para a celebração dos 40 anos de carreira do artista e 59 anos de idade.

“Utomi”, que na língua rhonga significa “vida”, é essencialmente uma música para pista e que sugere dança! Trata-se de uma abordagem diferente dentro da estrutura musical do músico! Não sai do seu eixo africano e tradicional, mas faz uma visita a instrumentos electrónicos e samples digitais.

A proposta de Sukuma é  também a nova dança criada e adaptada pelo músico e uma dupla de bailarinos profissionais (Lulu Sala e Emelva Dine), onde incorporam um conjunto de danças tradicionais, que fazem um bloco sólido para transmitir uma mensagem de vida, apesar de todas adversidades.

É uma forma, também, de levar as danças tradicionais de Moçambique para as pistas de dança, misturando com a cultura pop.

“Utomi é a dança da vida! Os africanos têm uma forma muito especial de estar na vida, na alegria e na tristeza, onde a música é uma condição que nunca se dissocia da dança”, lê-se na breve discrição na conta do Youtube do artista, onde a música tinha, até ao início da tarde de hoje, 750 visualizações.

Numa breve conversa com o “Notícias Online” o músico diz que quis fazer uma homenagem à região sul do país, que o acolheu desde 1977 de forma harmoniosa, fazendo referência ao Xirhonga usado na música. Entretanto, Stewart disse que nas outras composições os seus admiradores poderão acompanhar outros idiomas, como Chuabo e Emakwa.

“Wutomi” é, acima de tudo, uma música de esperança. O artista recorreu, inclusive, a algumas passagens bíblicas para dar corpo à sua composição.

A música foi gravada no Studio 75 e masterizada no Paris Zannos, Paris Studio, Cape Town SA. Stewart Sukuma foi responsável pela letra, enquanto os arranjos e produção musical fez em parceria com Shico Fortuna. Pauleta Muholove adicionou as vozes e May Mbira tocou a mbira e xigovia. A percussão esteve a cargo de Nelson Manjate, enquanto Fernando Morte esteve nos “shakers”.

- Publicidade-spot_img

Destaques