VENCEDOR CONHECIDO ESTE MÊS: Central solar de Dondo ganha concorrentes

0

DUAS empresas acabam de ser apuradas para a fase final do concurso do Governo para a construção da central solar no distrito de Dondo, na província de Sofala.

Fonte próxima do processo, no Ministério dos Recursos Minerais e Energia, não identificou as empresas qualificadas, contudo garantiu que o mesmo está já na fase final e o vencedor poderá ser conhecido no máximo até ao final deste mês.

Numa primeira fase concorreram para a construção da central solar 12 firmas. Mais tarde foram desqualificadas seis, fincando apenas cinco. A lista foi mais tarde afinada para duas empresas.

“Temos a nossa equipa a trabalhar para garantir a celeridade e toda a transparência necessária neste processo e acredito que, no máximo, até ao final de Janeiro corrente vamos ter o trabalho concluído”, assegurou a fonte do MIREME, num contacto com o nosso Jornal.

No Dondo, o Ministério de Recursos Minerais e Energia, através da Electricidade de Moçambique, EP (EDM), pretende desenvolver o projecto de construção de uma central solar fotovoltaica de 40MW, no âmbito do Programa de Leilão de Energias Renováveis (PROLER).

O PROLER surge no âmbito do programa “Energia para Todos”, que visa o alcance da meta de acesso universal de energia para todos os moçambicanos até ao ano 2030, bem como a diversificação da matriz energética através de fontes sustentáveis com enfoque na implementação de uma carteira de projectos de geração de corrente eléctrica usando as energias renováveis, redução das emissões de carbono no período entre 2020-2030.

O objectivo do programa PROLER é desenvolver projectos de energias renováveis a serem ligadas à rede eléctrica nacional, nomeadamente três centrais solares e um parque eólico, com capacidade unitária entre 30 a 50MW, através de um mecanismo de licitação transparente e competitivo, de maneira a mitigar todos os riscos regulatórios associados ao desenvolvimento dos projectos de renováveis para atrair o investimento do sector privado, com tarifas mais baixas possíveis.

Para além da central de Dondo o Governo também projecta implementar outras em Tete, Niassa e Inhambane.

No total, o país pretende em geral cerca de 120MW de energia com recurso a fontes renováveis, valores que se acredita vão contribuir para consolidar a posição de Moçambique como líder na produção de energia limpa na região da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Refira-se que, numa primeira fase, cerca de 130 entidades, entre nacionais e estrangeiras, haviam adquirido os cadernos de encargo, no âmbito do programa de leilões lançado pelo Governo, para a construção da central solar de Dondo.

+ posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.