Director: Lázaro Manhiça

O PRESIDENTE da República (PR), Filipe Nyusi, considera que Daviz Simango sempre revelou sentido de Estado e embora dirigente de um partido da oposição teve a consciência clara que lhe competia defender os interesses nacionais.

O elogio foi feito sábado,na cidade da Beira,na cerimónia fúnebre do presidente do Conselho Municipal da Beira e do Movimento Democrático de Moçambique(MDM)e membro do Conselho doEstado, falecido a 22 de Fevereiro,numa clínica na África do Sul.

“Moçambique foi sempre a sua primeira prioridade, privilegiando o consenso na tomada de decisões estruturantes. É por isso que o seu lugar no Conselho doEstado não resultava de uma simples circunstância protocolar e a sua actuação não se limitava às sessões formais, sobretudo no alcance de consensos sobre a descentralização com o então presidente da Renamo, Afonso Dhlakama”, disse o Presidente Nyusi.

Considera que o autarca demonstrouque era possível alcançar o poder político sem recurso a armas de fogo, constituindo-se,assim,como actor fundamental na fundação da jovem democracia moçambicana,edificando pontes de diálogo.

Nyusi descreveu Daviz Simango como um homem de convicções, que lutou pela consolidação dademocracia no país, ajudou na busca da paz e apoiou no diálogo político que culminou com a assinatura do Acordo de Maputoentre o Governo e a Renamo, a 6 de Agosto de 2019.

“Defendia a vida do seu partido, como gestor dos processos internos, mas não o fazia contra o Governo, nem contra outros partidos. Era um companheiro de uma mesma viagem que nos conduz ao futuro de Moçambique. Hoje, mais do que nunca, Daviz Simango faz-noslembrar que, a cima de tudo, somos pessoas e da mesma família”, considerou Nyusi.  

Segundo Nyusi, com a partida precoce de Daviz Simango, Moçambique perde um parceiro fundamental no relacionamento entre as diferentes forças políticas do país.

Para o Chefe do Estado, uma das formas de eternizar a sua vida é consolidar a unidade nacional, defendendo os valores morais da honestidade, do trabalho e da justiça social no solo pátrio. “Vamos honrá-lo,pondo fim aos ataques armados em Sofala e Manica, combate ao terrorismo em Cabo Delgado, defesa do Estado de Direito Democrático e na luta conta a Covid-19”, recomendou o estadista.

Os restos mortais de Daviz Simango foram a enterrarsábado, no Cemitério Santa Isabel, na cidade da Beira.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction