Director: Lázaro Manhiça

TRÊS mil e cento e cinquenta pessoas foram afectadas pelas chuvas registadas, no início desta semana na cidade de Maputo, na sequência do alagamento de 692 residências localizadas nos distritos municipais KaMaxakeni, KaMavota e Nhlamankulu.

Há registo de duas casas destruídas, uma parcial e outra completamente, no bairro de Laulane, devido a fúria das águas.

A informação foi partilhada, esta quarta-feira (27) pela delegada do Instituto Nacional de Gestão de Riscos e Desastres (INGD), Fátima Belchior, que falava numa conferência de imprensa conjunta do Centro Operativo de Emergência (COE), integrando o Conselho de Serviços de Representação do Estado na capital do país e o município de Maputo, sobre o impacto da intempérie.

Belchior disse que as vítimas já foram assistidas, através de material de construção para reerguer as casas.

O porta-voz do Conselho de Serviços de Representação do Estado, Artur Dombo, apontou que 29 escolas sofreram alagamentos. Entretanto, a situação não afectou a realização dos exames finais da sétima classe.

“As escolas primárias Unidade 22, Minkadjuine e Mavalane A ficaram completamente alagadas, o que implicou o bombeamento das águas para que os alunos fossem examinados. No caso do último estabelecimento de ensino, os 333 estudantes tiveram de realizar as provas na vizinha Escola Secundária da Solidariedade”, explicou.

Domboavaliou positivamente o processo dos exames, uma vez que dos 27.932 candidatos, 96,7%compareceu às provas.

“Estamos a trabalhar com as direcções das escolas e encarregados de educação para que os 926 alunos faltosos compareçam à segunda chamada a realizar-se próxima semana”, exortou.

Por seu turno, o vereador de Planificação e Finanças, Eduardo Nguenha, informou que 32 vias de acesso ficaram obstruídas ou danificadas devido a precipitação e 19 mercados alagados.

Por outro lado, 516 agricultores perderam as suas culturas, na cintura verde da cidade.

“Fizemos o bombeamento e sucção das águas nas residências, escolas e mercados, removemos as areias e pedras das vias de acesso para permitir a mobilidade de bens”, contou Nguenha.

Disse ainda que está em curso a construção da bacia de retenção de águas pluviais no bairro de Maxaquene, que poderá ser concluída em Abril, de modo a minimizar os impactos das chuvas a médio e longo prazo.

“Há outros trabalhos em curso, no âmbito de transformação urbana, cujo financiamento de cerca de 100 milhões de dólares(7,5 mil milhões de meticais)foi homologado, terça-feira (27), pelo Conselho de Ministros. O Banco Mundial adiantou parte do valor, o que permite a realização de estudos com vista a sanar os problemas da cidade “, concluiu.

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction