Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 1462

JOAQUIM Chissano e outros dois antigos presidentes africanos são enviados especiais à Etiópia para tentar uma solução pacífica do conflito na região de Tigray, na Etiópia. A missão advinha-se complicada. Addis-Abeba rejeita qualquer mediação.

A União Africana (UA) nomeou três antigos presidentes como enviados especiais à Etiópia para tentar concretizar a mediação entre as várias facções envolvidas no conflito no país, anunciou o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

O Chefe de Estado sul-africano, que ocupa actualmente a presidência rotativa da UA, anunciou, em comunicado, que os antigos presidentes de Moçambique, Joaquim Chissano, da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf, e da África do Sul, Kgalema Motlanthe, serão os enviados à Etiópia. Leia mais