Imprimir
Categoria: Opinião & Análise
Visualizações: 973

Retalhos e Farrapos : Esboço de cartas sem efeito*  (Hélio Nguane)

 

Maputo, Fevereiro de 2010

Meu caro Gil Abrantes

 

ESTÁ é a primeira carta que redijo. Nunca fui bom em palavras, apesar de ouvir desde novo que meu pai dominava a arte da retórica. Escrevo para retribuir a carta que só encontramos há dias. Copiei o endereço e mandei pelo correio. Nem sei se chegará ao destino. A verdade é que sou órfão. No meio disso, cá estou.

Do rebento…

Cristóvão Júnior

--------------------------------------

São Tomé, Março de 1973

Senhorita Beatriz de Assunção

 

Julgávamos que o Cristóvão era imortal, o seu sorriso fascinou a todos nesta ilha. Até os nossos companheiros da Ilha do Príncipe já conheciam as histórias apaixonantes deste rapaz mestiço vindo de um país distante de nome Moçambique.

Deus conhece o seu baralho, mas quando baralha por vezes baralha a vida de dois seres que querem ter algo em comum. Ele já tinha o dinheiro dos bois e o valor para a festa do vosso casamento. Nem sei como redigir, é com lágrima que rabisco esta carta. Ele vai te amar além da vida. Na embarcação sairá um jovem marinheiro com um envelope caqui, com o valor que ele reuniu aqui na ilha. Infelizmente, ele não virá, a morte lhe arrebatou, padeceu de paludismo. Minhas condolências.

Do companheiro que ele fez aqui na ilha

Gil Abrantes

-------------------------

 

São Tomé, Fevereiro de 1973

Minha querida noiva

 

É fácil sermos dois. Porque o carinho é um sentimento que faz os seres serem um só. Quando dois seres se beijam, transferem energias, juntam os lábios, a saliva circula de boca em boca, sem distinguir o corpo de origem e o corpo final.

O abraço transfere forças, aperta os ossos, aquece o corpo, conecta os escolhidos para este acto.

Na conversa as palavras escapam da boca, umas mais pensadas, outras embaladas pelo sentimento e nível de descontrolo de quem gosta. Na paixão, as palavras ganham outro sentido, o impacto está na entoação, na expressão facial que o rosto da luz. Na conversa são os pensamentos que trocam impressões. As palavras, para muito são a melhor forma de conhecer alguém. De certa forma. Mas elas mentem. O beijo e o abraço são mais espontâneos. Palavras espontâneas nem sempre são bem acolhidas.

Sexo: duas almas nuas, que despem os medos e se entregam a emoção. Sexo sem sentimento é um exercício físico, apenas isso. Sexo com paixão elimina os pudores, as reticências, os talvezes, as dúvidas, pois, quem entrega o corpo com paixão, entrega-se à relação.

Tempo: são minutos que fazem toda a diferença. Segundos ou podem ser transformados em pérolas. Em cinco minutos o mundo pode acabar, mas em cinco minutos não se constroem castelos. Tempo é sinónimo de gestão, pois, gerimos ele consoante as prioridades. Damos tempo ao que nos faz bem, banalizamos o que nos repele.

Concessões: Temos de aceitar as diferenças para ceder, fechar os olhos e ouvidos pelo bem da relação. Temos de entender os outros.

Distância: São Tomé e Príncipe é distante minha querida, mas não são os quilómetros que vão separar duas almas unificadas por um sentimento sublime, que vai viver para além da vida. O navio parte daqui há uma semana, espero que as ondas do Atlântico sejam pacíficas e em breve trecho conheça o seu Índico corpo.

Do teu noivo quase marido.

Cristóvão

 

*Ficção