Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 440

O Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) exortou, ontem, Moçambique a adoptar políticas de prevenção contra o terrorismo e outras formas de crime transnacional, proporcionando oportunidades aos jovens, para não aderirem à violência.

“É preciso pensar em formas de ajudar Moçambique a desenvolver políticas de prevenção, como resposta primária contra estas ameaças”, afirmou Masood Harimipour, responsável pelo Departamento de Prevenção do Terrorismo do UNODC.

Masood Harimipour assinalou a necessidade de se atacarem as causas, que favorecem o terrorismo e outras formas de terrorismo internacional, quando falava durante um “Seminário sobre formulação de um plano estratégico contra o crime organizado transnacional, droga e terrorismo”.

“Quando a prevenção é praticada, e não apenas apregoada, é solução mais eficaz ,do que a reacção, vários estudos já demonstram, que essa abordagem é mais eficaz”, declarou.

O terrorismo e a criminalidade transnacional, prosseguiu, já demonstraram que nenhum país está imune à sua acção e devem ser adoptadas políticas, que desincentivem os jovens a aderirem a práticas de violência contra o Estado, continuou.

“O terrorismo é um fenómeno internacional, uma ameaça, que nenhum país sozinho pode combater”, frisou Masood Harimipour.

Por seu turno, César Guedes, representante da UNODC, declarou que este organismo está disponível, para prestar assistência técnica e assessoria na formulação de políticas contra o terrorismo e crime transnacional.

Nesse sentido, a organização promoveu, recentemente, uma acção de formação de magistrados, agentes da Polícia e fiscais de fauna bravia e florestas, das províncias do norte de Moçambique, região a braços com uma onda de violência já descrita como terrorismo, nomeadamente, na província de Cabo Delgado.

"Estamos a trabalhar com o Governo moçambicano, para a identificação de áreas de interesse, no apoio ao combate à criminalidade transnacional, incluindo o terrorismo", declarou César Guedes.

O “plano estratégico contra o crime organizado transnacional, droga e terrorismo”, que vai sair do seminário, que se iniciou hoje, em Maputo, vai permitir a Moçambique mobilizar apoio internacional, para o combate àqueles delitos.

O encontro vai durar três dias e reúne representantes do Governo moçambicano e peritos da UNODC.