Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 1055

A ORDEM dos Médicos de Moçambique reafirmoua sua determinação em continuar a lutarcontra várias doenças que apoquentam os cidadãos, em particular a Covid-19.

A renovação do compromisso foi feita pelo bastonário da Ordem dos Médicos, Gilberto Manhiça, que falava no sábado, à margem da conferência de imprensa dada pelo Ministro do pelouro, Armindo Tiago, destinada à apresentação do ponto de situaçãoda pandemiano país.

A intervenção do bastonário da Ordem dos Médicos foi por ocasião do dia 28 de Março, dia do Médico Moçambicano.

Na ocasião, Manhiça disseque a realidademoçambicanaé diferente dos outros países,até porque o rácio médico por habitantes ainda continua a ser de dois a três médicos por cada 100 mil habitantes e não um médico por cada 1000, como é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O bastonário afirmou também que os profissionais da Saúde sempre estiveram em risco de contrair infecções e, no contexto da nova ameaça, a exposição é ainda maior, situação que se traduz no aumento da carga de trabalho edo risco. 

A fonte apelou aos cidadãos aacatar as orientações anunciadas pelo Governopois, segundo explicou, a pandemia não será combatida apenas pelos profissionais daSaúde.

Referiu que o combateà doençasó será possível se cada um cumprir a sua parte, sendo, por isso, necessário que olhepara si como parte da solução.

Por sua vez, o presidente da Associação dos Médicos de Moçambique, Milton Tatia, que endereçou uma saudação especial aos milhares de membros da classe, pediu que seja revisto o subsídio de risco atribuído aos médicos e outros profissionais da Saúde.

Tatia apelou tambémàcalma, disciplina e compromisso com as recomendações. Aos demais colegas, exortou-os a continuar firmes neste momento difícil que o país atravessa.