Imprimir
Categoria: Província Em Foco
Visualizações: 1366

A Administração Nacional de Estradas (ANE) - Delegação de Inhambane, intervencionou no ano passado 1.547.1 quilómetros de estradas, entre as com superfície de asfalto e terraplanadas, o correspondente a 95,6 por cento da meta planificada.

As intervenções compreenderam acções de manutenção de rotina numa extensão de 1.542.1 quilómetros de estradas, sendo 561,6 com superfície de asfalto e 980,4 de terraplanadas.

Igualmente, foram realizadas intervenções de emergência em cinco quilómetros de estradas asfaltadas e terraplanadas.

Estes dados foram avançados há dias pelo delegado da ANE, Elcídio Parruque, no decurso da sessão ordinária do Conselho Provincial de Estradas.

No mesmo encontro referiu que a execução financeira situou-se em 134 milhões de meticais, o correspondente a 95,6 por cento de um total de 140 milhões de meticais planificados para o ano passado.

Não obstante este conjunto de acções, a instituição registou um decréscimo na ordem de 21 por cento comparativamente ao ano anterior.

Tal situação, conforme foi revelado no encontro, resultou da redução da dotação orçamental. Devido ao facto, 564 quilómetros de estradas ficaram sem intervenção, nomeadamente as estradas Mawaela/Mandlakazi, Rio Changane/Tsenane, Pande/CrzR922, CrzR912/Parque de Zinave, Funhalouro/Tome, Chivalo/Mawaela, Nhachengue/Chicomo, Chissibuca/Canda, CrzR457/Jofane, Mavanza/Belane, CrzN1/Guinjata/Paindane, Tessolo/CrzR457, Mawaela/Macavelane, Ravene/Ligogo, Mavila/Maculuva, CrzR915/Murie e CrzR916/Baía dos Cocos.

Apesar deste facto, no que tange à transitabilidade da rede viária, o balanço daquela entidade na província de Inhambane indica que 2.044,9 quilómetros de estradas são transitáveis na condição boa e razoável, o correspondente a 71 por cento.

A extensão total da rede viária revestida e não revestida é de 4603 quilómetros, dentre nacionais, primárias, secundárias, regionais, terciárias e vicinais.