Imprimir
Categoria: Província Em Foco
Visualizações: 3205

O Município de Chimoio, em Manica, prevê criar no segundo semestre deste ano uma empresa municipal de construções, destinada a executar obras projectadas pela edilidade nos domínios das vias de acesso, pontes, fontes de água e edifícios de diversa utilidade.

A iniciativa visa poupar custos, garantir celeridade das obras, promover a urbanização e o rápido crescimento da cidade.

A revelação foi feita ao “Notícias” pelo edil local, João Ferreira, o qual afirmou que, com esta empresa, a edilidade vai prescindir da contratação de empreiteiros, além de garantir a qualidade necessária aos empreendimentos municipais e evitar casos de corrupção e o abandono de obras, que era frequente naquela autarquia.

Com efeito, João Ferreira disse prever a chegada à cidade do equipamento apropriado e de última geração, importado da China, para capacitar a referida empresa, que também vai integrar técnicos qualificados, que para tanto serão recrutados e treinados dentro deste semestre.

Dos equipamentos a serem importados, Ferreira destacou uma central de betão, dois camiões misturadores de betão, uma máquina de fabrico de pavés, uma central de asfalto, um camião pulverizador do asfalto, uma pá escavadora, três cilindros compactadores e uma retroescavadora.

Também constam do lote dos equipamentos da primeira empresa municipal a ser constituída no país, uma pá carregadora, dois camiões equipados de artefactos para limpar e varrer areias nas estradas, um camião plataforma, normal e outro para transporte de máquinas, para além de uma máquina para a abertura de furos de abastecimento de água.

A iniciativa tem suporte financeiro do Governo, através do Fundo de Desenvolvimento Autárquico e conta com o apoio monetário do projecto PRODIA, suportado financeiramente pelo Governo do Reino dos Países Baixos, que está a patrocinar a construção de infra-estruturas e garantir apoio institucional às autarquias no país.

Com efeito, o governo moçambicano desembolsou mais de 66 milhões de meticais, enquanto o Reino dos Países Baixos comparticipou com 800 mil dólares norte-americanos, o correspondente a aproximadamente 50 milhões de meticais.

VICTOR MACHIRICA