Imprimir
Categoria: Província Em Foco
Visualizações: 1171
Treze indivíduos estão desde semana passada a contas com as autoridades policiais na província de Gaza, indiciados de fomentar desinformação e desobediência ao estado de emergência em vigor desde 1 de Abril, devido à pandemia da Covid-19.
A informação foi dada ontem (20) pelo porta-voz da PRM na província, Carlos Macuácua, referindo que 11 casos foram por incumprimento das regras de trânsito e práticas não admissíveis, sendo que quatro dos implicados são automobilistas.
“Ainda nesse capítulo, duas senhoras estão a responder a um processo criminal por terem difundido um áudio através da plataforma WhatsApp a desinformarem sobre supostos casos da Covid-19 na província. O áudio indica que 12 agentes da Polícia teriam contraído o vírus e que estariam a transmitir aos seus colegas”, afirmou Macuácua, apelando à população para ser mais vigilante à difusão de informação “falaciosa nas redes sociais, para que não haja agitação nas populações”.
Segundo Carlos Macuácua, a Polícia tem estado a desencadear uma “intensa actividade de sensibilização, vigilância e fiscalização”, para travar a entrada da Covid-19 na província, reiterando, por isso, “o apelo aos cidadãos para o cumprimento das medidas impostas pela Saúde, contribuindo assim para conter a propagação da pandemia”.
O porta-voz da PRM em Gaza confirmou ainda o registo, na semana finda, de duas queixas de violação sexual, primeiro no distrito de Guijá, contra uma menor de seis anos de idade, e osegundo no distrito de Mapai, onde um professor foi indiciado de ter violado sexualmente uma sua aluna de 13 anos.
Numa outra incursão, a corporação afirma ter recuperado e restituído aos respectivos proprietários 10 cabeças de gado bovino e carne correspondente a uma cabeça, roubadas em diversos pontos da província, maioritariamente nos distritos de Chókwè e Mabalane.
No total, de acordo com a mesma fonte, foram registados nesta parcela do país 18 casos criminais contra sete da semana anterior, tendo resultado na detenção de 20 indivíduos, cujos processos seguem os trâmites legais.