Director: Lázaro Manhiça

A Associação dos Pescadores de Angoche (APA), cuja maioria dos seus membros pratica pesca artesanal, acaba de receber diverso equipamento para faina, incluindo motores para as suas embarcações, que variam entre 15 e 40 cavalos, para pescaria em mar aberto.

Os motores foram entregues à APA pelo Fundo de Fomento Pesqueiro, que doou também diversos materiais para a construção de redes de pesca de emalhe e equipamentos para conservação do pescado.

Os meios entregues estão avaliados em mais de um milhão de meticais e foram adquiridos sob financiamento do Fundo de Fomento Pesqueiro, visando garantir uma exploração sustentável de recursos marinhos.

O presidente da associação, Sabino Omar, disse no acto de recepção dos materiais ora doados que o gesto mostra a importância e interesse do Governo em ver a pesca artesanal a desenvolver-se e a ser praticada em moldes sustentáveis.

“Os pescadores artesanais sempre enfrentaram problemas de falta de material para o exercício da sua actividade, por isso, os meios vão reforçar a nossa capacidade de produção e melhorar a gestão sustentável dos recursos pesqueiros”, observou.

Lamentou a falta de fiscalização da orla marítima moçambicana, situação que faz com que aconteçam casos de pesca ilegal, solicitando o reforço do patrulhamento como forma de permitir que os investimentos do Governo na área da pesca artesanal tenham os resultados desejados.

Angoche é o distrito com mais empresas de processamento de pescado na província de Nampula, sendo que maior parte do peixe capturado e processado é exportado para alguns países da Europa e Ásia.

Comments

A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve, há dias, cinco indivíduos indiciados no rapto do empresário Issufo Satar, ocorrido recentemente na cidade de Chimoio, província de Manica.

A detenção dos cinco indivíduos ocorreu em vários pontos da província de Manica, para onde cada um dos malfeitores havia se refugiado.

Dois dos indiciados participaram no crime com a disponibilização de suas viaturas para a operação de rapto e uma mulher, a única do grupo, usou seu telemóvel para fazer contactos com a família da vítima.

Outros dois estão detidos por envolvimento activo no crime. Estes últimos dedicam-se à actividade económica na cidade de Chimoio, tendo enveredado também pelo mundo do crime.
O porta-voz da PRM em Manica, Mateus Mindú, disse em Chimoio que o empresário já foi restituído à liberdade no passado dia 15, depois de um trabalho de inteligência efectuado pela corporação em colaboração com a família da vítima.

O resgate do empresário não envolveu o pagamento de valores monetários, apesar de os malfeitores terem condicionado a sua libertação à entrega de elevadas somas.
“A vítima foi posta em liberdade no passado dia 15, quando os sequestradores se sentiram encurralados. A Polícia fez um trabalho de inteligência depois de activar todas as suas linhas operativas, o que culminou com a neutralização dos cinco indivíduos”, disse.
Num outro desenvolvimento, Mindú revelou que a PRM deteve no distrito de Manica uma cidadã que tentou sair do país, ilegalmente, pela fronteira de Machipanda, com uma menor de apenas 14 meses de idade.

“A menor estava com uma senhora que tentou atravessar a fronteira de Machipanda para o Zimbabwe. Foi possível descobrir que a criança não era dela e estava a ser levada sem o consentimento dos familiares. A mulher está detida e trabalhos de investigação prosseguem para apurar a verdade sobre o caso”, explicou.

Ainda na cidade de Chimoio, a PRM neutralizou um cidadão que pertence a um grupo que se dedicava a assaltos a estabelecimentos comerciais. (AIM)

Comments

SINDICATOSdo crime de contrabando de madeira da espécie proibida por lei estão de volta à Reserva Nacional doGilé, na província da Zambézia, usando a estratégia de camuflagem para escaparem àfiscalização das autoridades daquela área de conservação e da Polícia de Protecção de Recursos Naturais. Leia mais

Comments

O Conselho Municipal de Chimoio, na província de Manica, descarta a possibilidade de transferir o cemitério de Chissui para uma outra zona, uma decisão que havia sido tomada no mandato passado, devido à falta de espaço para a realização de mais funerais.

Aliás, o encerramento do cemitério gerou muita polémica no mandato anterior, com muitos residentes a contestar a proposta da sua transferência para um outro local.

“Já não vamos transferir o cemitério, tal como havia sido projectado no mandato passado. Fizemos um trabalho muito cuidadoso e constatamos que ainda há espaço para sepulturas por mais anos”, explicou ontem o presidente do Conselho Municipal de Chimoio, João Ferreira, citado pela AIM.

Ferreira fez este anúncio num encontro com jornalistas, durante o qual apresentou o cronograma de actividades da sua instituição para o ano 2020.

"O que temos agora são 43 hectares com sepulturas e outros 41 estão livres e podem ser aproveitados. Assim sendo, vimos que não valia a pena tirar o cemitério para mais distante da cidade", afirmou o edil, para quem a saída do cemitério poderia acarretar mais custos e ficaria muito distante da zona residencial.

"Vimos que fica distante e pode complicar a vida dos munícipes quando estiverem numa situação em que precisam de sepultar o seu entequerido. Já estamos a trabalhar para ver se permanecemos naquele local", explicou.

O cemitério de Chissui foi aberto em 1983, depois do encerramento de outro que havia sido instalado no bairro 7 de Setembro.

Comments

O Governo trabalha para convencer os empreiteiros a retomarem as obras de reposição das pontes sobre os rios Montepuez e Messalo, em Cabo Delgado, interrompidas devido à acção dos insurgentes na província.

O facto foi anunciado em Pemba pelo Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, num comício orientado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, no âmbito da sua visita à província de Cabo Delgado.

Na ocasião, João Machatine falou das medidas urgentes para permitir ligação entre a região norte de Cabo Delgado e o resto da província, ora interrompida por conta do desabamento das pontes sobre o rio Messalo.

Falando sobre o rio Montepuez, o Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricosdisse que estão já em curso acções com vista à sua reposição e espera igualmente que até ao final desta semana a ligação seja restabelecida. (Notícias/RM)

Comments

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction