Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 2072

UMA criança albina, aparentando dois anos de idade, natural do distrito de Angoche, província de Nampula, foi resgatada no último sábado das mãos de dois cidadãos no distrito de Gilé, na Zambézia, onde se presume que seria vendida ao preço de quatro milhões de meticais.

Segundo o porta-voz do Comando da Polícia (PRM), em Nampula, Sérgio Mourinho, a menor fora raptada por dois supostos membros da sua família, na localidade de Parta, posto administrativo de Namitória, em Angoche, e depois entregue a Albertino António e Selemane Saíde, que se dedicam à actividade de táxi-mota.

Segundo a Polícia, para ludibriar a vigilância, a menor foi embrulhada num casaco e assim transportado até ao distrito de Gilé, onde a Polícia neutralizou os dois indiciados que, entretanto, ainda não avançaram a identidade do mandante do crime.

A menor goza de boa saúde, e segundo a PRM foi ontem transportada para o distrito de Angoche, para ser entregue aos pais.

Recentemente, três pessoas foram detidas indiciadas de rapto de um cidadão portador de albinismo, no distrito de Ribáuè, no interior da província de Nampula.

Segundo o comandante da PRM no distrito de Ribáuè, Agostinho Namahala, a vítima, de 22 anos, foi mantida em cativeiro durante duas semanas pelos três homens, após ter sido convencida a segui-los para a cidade de Nampula, capital da província.

A Polícia suspeita que o grupo pretendia traficar a vítima, num momento em que as autoridades locais registam o aumento de casos de perseguição de albinos para rituais supersticiosos.

Em várias partes do Continente Africano, os albinos têm sido vítimas de homicídio para a extracção de órgãos por pessoas que acreditam que podem ficar ricas se forem tratadas com partes do corpo de albinos.