POUCO mais de 1.401 mil pessoas serão abrangidas, este ano, pela campanha de mobilização social para o registo de nascimento e de óbito, em implementação na cidade e província de Maputo, Gaza e Nampula. Trata-se de uma estratégia que pretende despertar a população sobre a importância das estatísticas vitais na promoção e protecção dos direitos humanos e no desenho e implementação das políticas públicas.  Leia mais

Comments

O sector da saúde necessita de rever as suas estratégias de atendimento e de desenvolvimento do seu quadro do pessoal, de modo a assegurar o reforço da cobertura universal e a oferta de cuidados primários ajustados aos momentos de transição epidemiológica.

Segundo tese defendida pela ministra do pelouro, Nazira Abdula, a experiência do dia-a-dia de atendimento nas unidades sanitárias e os resultados da avaliação dos serviços, demonstra que é preciso melhorar a qualidade da atenção prestada ao utente.

A ministra, que falava ontem na abertura do Conselho Coordenador do sector, a decorrer na cidade de Tete, destacou os avanços alcançados pelo seu pelouro na componente de expansão do acesso aos cuidados de saúde, no combate a grandes epidemias como a malária, HIV/Sida e tuberculose, bem como no aumento da rede de unidades sanitárias.

“O processo de descentralização constitui, em simultâneo, uma oportunidade e um desafio. Temos ainda crianças, adolescentes e jovens, adultos, homens e mulheres que ainda não têm acesso a uma unidade sanitária próxima”, disse a governante.

A ministra afirmou que a entrada em funcionamento do quarto hospital central no país levou a que toda a zona norte tivesse mais um hospital de referência com valências especializadas, o que permite reduzir a pressão sobre os hospitais centrais de Nampula, Beira e Maputo.

“Reduziu o impacto familiar e económico das transferências, a sobrecarga dos outros hospitais centrais em cerca de 1.200 cirurgias de grande vulto por ano e, acima de tudo, melhorou a qualidade de vida e da saúde das populações”, sublinhou.

Abdula disse que o governo reconhece a vacinação como a intervenção de saúde pública mais eficaz, pois antes do tratamento de qualquer que seja a doença, primeiro vem a prevenção.

No seu entender, o impacto da vacinação na saúde e na dinâmica da população é inestimável, tendo em conta que as vacinas previnem doenças e oferecem uma boa saúde, contribuem para um desenvolvimento cada vez mais sustentável e para o bem-estar da população.

“Por isso, o sector está ciente de que, com a administração de cada vez mais vacinas às nossas crianças, o Governo está a contribuir de forma segura para uma considerável melhoria dos indicadores da saúde infantil”, concluiu.

Comments

O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Moçambique vai introduzir no Inquérito sobre Orçamento Familiar (IOF) um caderno individual para a avaliação da pobreza no país, anunciou ontem o organismo, em conferência de imprensa.

“Para o próximo inquérito, cada pessoa maior de 15 anos vai ter um caderno, em que vai anotar todas as despesas que faz fora, isto para que aqueles gastos individuais sejam somados ao gasto do agregado familiar”, disse o director nacional de Censos e Inquéritos do INE, Arão Balate.

Balate adiantou que o INE vai duplicar o tempo de presença dos recenseadores nas residências do universo populacional escolhido para o IOF de 2019/20.

“Nos inquéritos passados nós ficávamos sete dias, mas para o próximo inquérito vamos ficar mais 14 dias”, acrescentou o director do INE, citado pela Lusa.

O inquérito vai arrancar em Novembro e vai avaliar, durante um ano, as despesas e receitas dos agregados familiares moçambicanos, sendo por isso a “base fundamental para a actualização da linha de pobreza do país”.

“Estamos a prever que em Abril teremos o relatório analítico e, meses depois, teremos a actualização da linha de pobreza, mas só em 2021”, referiu o INE.

O custo do IOF está avaliado em cinco milhões de dólares e o montante é financiado pelo Banco Mundial.

O censo vai abranger mais de 13 mil agregados familiares, dos seis milhões que existem no país.

Comments

OS centros urbanos como Maputo, Matola e Boane têm vindo a registar nos últimos tempos proliferação de novas entidades religiosas, maioritariamente cristãs, que desafiam a percepção sobre o papel da igreja na família, comunidade e na sociedade. Leia mais

Comments

Trinta pessoas morreram na semana passada, vítimas de acidentes de viação, contra 24 do período homólogo de 2018, informou ontem, em balanço, o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).

Segundo a PRM, os acidentes, registados entre 06 a 12 deste mês, causaram 22 feridos graves, contra 26 em igual período do ano passado, e 40 feridos ligeiros, contra 20.

A velocidade excessiva, má travessia do peão e condução sob efeito de álcool foram as causas da sinistralidade registada no período em causa.

No total, a Polícia moçambicana registou, na semana passada, 25 acidentes de viação contra 39 do período homólogo de 2018.

Ainda na semana passada, foram detidas 1476 pessoas em todo o país, sendo 1263 por violação de fronteira e 213 por prática de vários delitos.

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction