25 C
Maputo
Sexta-feira, 20 - Maio, 2022

Mais 1.7 milhões de vacinas da Covid-19 chegam em Maio

+ Recentes

MOÇAMBIQUE vai receber, até Maio próximo, 1.7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, no âmbito da iniciativa COVAX, para a campanha nacional de vacinação em curso no país.

O facto foi anunciado na manhã de hoje (11) pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago, quando respondia às questões de insistência dos deputados da Assembleia da República, no segundo e último dia do informe do executivo.

Tiago salientou que, nas fases subsequentes da campanha de vacinação o país vai imunizar a todos cidadãos. “Queremos dizer que até Maio, nós vamos receber 1.7 milhões de vacinas do mecanismo COVAX”, anunciou.

A pessoa vacinada, se por ventura for contaminada não poderá desenvolver formas graves da doença ou morte, por isso, mesmo depois da vacinação é fundamental continuar a verificar as medidas de prevenção, porque menores e mulheres grávidas não poderão tomar, sublinhou.

“Queremos lembrar aos deputados que África possui 54 países. Moçambique é o sétimo país a receber vacinas da China, é o 13º país africano a iniciar com a campanha de vacinação e 15º a receber imunizantes no âmbito da iniciativa COVAX, por que o país está firme no combate a Covid-19”, refere.

Tiago explicou que a capacidade de internamento do Hospital Geral da Polana-Caniço é de 120 camas, 320 lugares no Hospital Geral de Mavalane e 214 no Hospital Central de Maputo, com uma taxa de ocupação de 49 % no HCM e 28% na província de Maputo, por isso ainda não abriu a enfermaria de Mavalane.

Ainda no sector, Tiago garantiu a reparação dentro de 90 dias, da máquina de tomografia avariada no Hospital Central de Quelimane. Cada província recebeu máquina digital de Raio X, para a substituição das analógicas cujo material escasseia no mercado.

“Os estudantes, docentes e membros do corpo administrativo infectados pela covid-19, durante a reabertura das escolas, não está relacionada com contaminações nas instituições de ensino, por isso, ordenou-se a reabertura das aulas”, frisou.

Falou igualmente da reabilitação das câmaras da morgue do Hospital Central de Maputo, e dos hospitais gerais e de diversos centros de saúde.

- Publicidade-spot_img

Destaques