15.6 C
Maputo
Quarta-feira, 10 - Agosto, 2022

Macate: O desafio de começar do nada!

+ Recentes

MACATE, um dos distritos da província de Manica recentemente criado, no âmbito da nova divisão administrativa do país,enfrenta um enorme desafio de começar do nada. Faltam infra-estruturas e serviços públicos, incluindo residências para funcionários e estabelecimentos comerciais.

Devido à falta de residências, os funcionários são  obrigados a percorrer, diariamente, 70 quilómetros de ida e volta ao serviço, e com isso gastam rios de dinheiro com o transporte de passageiros que também é ineficiente.

A governadora provincial, Francisca Tomás,que recentemente empossou a nova administradora de Macate, Rosa Cararadza, afirmou que o grande desafio para esta governante é desenvolver esforços com vista a resolver, paulatinamente, os problemas que afectam o distrito.

Disse que uma das razões que levaram a que Macate ascendesse à categoria de distrito é de este ter condições próprias para crescer, com um orçamento próprio para edificar o que precisa. Referiu que como posto administrativo que era, Macate podia não ter condições orçamentais como as que actualmente dispõe.

Macate é um antigo posto administrativo do distrito de Gondola,tendo ascendido à categoria de distrito em 2014. As autoridades governamentais locais estão a trabalhar no sentido de transformar o distrito num dos polos de desenvolvimento da província de Manica.

Com uma população estimada em mais de 100 mil habitantes, a antiga sede distrital  é declivosa, sendo que o seu relevo não facilita a edificação de infra-estruturas e não dispõe de espaço para a sua expansão. Devido ao facto, o actual desafio é de unir esforços visando superar os obstáculos emergentes da insuficiência de infra-estruturas para a acomodação das instituições públicas.

“Esta éa nossa maior aposta: tirar o distrito do anonimato, implantar edesenvolver infra-estruturaspúblicas”, disse a administradora distrital, realçando que,sendo Macate um distrito,vai aprender andar com os próprios pés, a caminhar resoluto em direcção à  solução dos seus problemas.

RosaCararadzareferiu que nesta agenda não traz varinha mágica,sendo que vai contar com o apoio e colaboração de todos.  “Quando em 2014 ascendeu àcategoria de distrito, Macate não tinha escritórios para a maioria das instituições, a água não chegava para ninguém, não havia autonomia na planificação, o desenvolvimento da região era discutido longe da realidade. Hoje, temos a oportunidade de dizer o que queremos, onde queremos e como queremos dirigir o nosso passo”, afirmou.

Com efeito, considerouque a transferência da sede distrital para Chissassa éum passo que vai acelerar o processo de construção das infra-estruturas para acomodar os serviços distritais. Neste momento, Macate já tem a sede do governo distrital, a secretaria distrital, entre outrosserviços que  já funcionam na nova sede.

“Vamos trabalhar no sentido de aproximar cada vez mais os serviços àpopulação” – disse a administradora distrital, referindoser desafio de todostrabalhar no sentido de transformar Macate num distrito de trabalho e não de lamentações.

- Publicidade-spot_img

Destaques