NAS PROVÍNCIAS E AUTARQUIAS: Governantes instados a combater a corrupção

0

O PRESIDENTE da República, Filipe Nyusi, desafiou os governadores, secretários de Estado nas províncias e gestores autárquicos a se distanciarem da corrupção, combatendo o fenómeno que entrava o desenvolvimento nacional.

Falando durante o I Conselho Nacional de Coordenação Descentralizada Provincial e Sectores do Nível Central, na quarta-feira, em Maputo, Filipe Nyusi considerou a corrupção um mal que tem causado um impacto negativo dentro e fora do país.

Exemplificou que, só em 2020, foram instaurados, em Moçambique, 1280 processos contra 911 do ano anterior, verificando-se uma subida de casos de corrupção registados e 369 processos instaurados, “um indicador demasiado alto”.

O Chefe do Estado citou estatística de percepção da corrupção no sector público da Transparência Internacional referente a 2020, altura em que foram avaliados 180 países.

Nesta base estatística, Moçambique encontra-se na lista dos países altamente corruptos, com 25 pontos, juntando-se a nações como Camarões, Zimbabwe, Madagáscar, Nigéria e outros.

Dirigindo-se aos governadores provinciais, secretários de Estado nas províncias e presidentes das autarquias, Nyusi persuadiu-os a intensificarem e aprofundarem o conhecimento da legislação, bem como das regras de organização e funcionamento dos órgãos descentralizados e desenvolver acções que definem as boas práticas de governação.

“Caros governantes, não podemos assistir passivamente a nossa província e o nosso país a serem catalogados como terra de corrupção, onde todos são corruptos. Tenhamos coragem de confrontar, mesmo com intimidações que possamos sofrer […], não temos outra alternativa senão combatermos vigorosamente a corrupção em todos os nossos sectores”, disse Nyusi, acrescentando que a boa governação não compactua com a corrupção e, para evitar o mal, é preciso haver transparência e prestação de contas.

“Os meus soldados para o combate à corrupção são vocês. Se cada um fizer um pouco só, nós vamos virar isto”, afirmou.

No encontro, Nyusi disse ficar “chateado” quando autarcas, directores e outras figuras públicas se envolvem em corrupção. Por isso, recomendou aos gestores a aprimorarem o uso de procedimentos, para evitar situações de falta de supervisão e fiscalização.

“Dediquem uma hora ou 15 minutos para saberem a situação das vossas instituições, para combatermos a corrupção […] orientem-se para maior rigor e legalidade atinente a estas matérias, instando os órgãos competentes a instaurarem processos disciplinares e cumprimento dos prazos legais, sob pena de responsabilização”, afirmou.

Joana Macie
Jornalista at | Website | + posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.