REAFIRMA PR: Governo tudo fará para que o país viva em paz

0

O GOVERNO tudo fará para que os moçambicanos vivam num país em paz, de harmonia, justiça e de convivência pacífica, onde as boas ideias não têm cor partidária e longe do espectro das armas, segundo reafirmou ontem em Mbuzini o Presidente da República, Filipe Nyusi.

O Chefe do Estado falava na celebração do 35º aniversário da morte de Samora Machel, primeiro Presidente de Moçambique independente, vítima de acidente aéreo naquela localidade sul-africana.

Nyusi assegurou que o Executivo honrará Samora Machel, através da celebração da unidade nacional, lutando permanentemente pela manutenção da paz e trabalhando arduamente pelo desenvolvimento de Moçambique.

O Presidente da República indicou que se constata hoje, com satisfação, que grande parte do sonho de Machel está a ser materializado, apesar dos constrangimentos de vária ordem. Para Nyusi, Samora foi entusiasta da igualdade e liberdade entre os homens, combateu de forma enérgica o racismo, o tribalismo e o regionalismo. Foi acérrimo combatente contra a corrupção, lutou pela emancipação da mulher e dedicou-se na promoção do desenvolvimento e bem-estar dos moçambicanos, ao ter a ousadia de declarar a década de 80 como sendo de luta contra o subdesenvolvimento.

Numa alusão ao local onde despenhou a aeronave presidencial, Nyusi disse que a partir de 19 de Outubro de 1986, as colinas de Mbuzini tornaram-se numa referência incontornável na história de Moçambique, da região, do continente e do mundo. Mbuzini tornou-se, acrescentou o Chefe do Estado, num lugar de peregrinação dos cidadãos do mundo, amantes da liberdade, da paz e da solidariedade.

O Presidente saudou o Governo sul-africano e todos os outros povos que acompanham Moçambique na marcha para a preservação da memória viva de Samora Machel. Agradeceu ainda o Executivo sul-africano, pelo acolhimento, apoio e entrega na realização da cerimónia, com glória, dignidade e solenidade que Machel muito bem merece.

Assumiu que Moçambique vai participar do movimento visando fazer do memorial de Mbuzini um lugar onde estudiosos e académicos podem realizar as suas pesquisas sobre Samora Machel e a África Austral.

Este ano, a efeméride foi assinalada sob o lema “35 anos de Mbuzini preservando o legado de Samora Machel”. Diversas personalidades, entre altos dignitários do Estado, dirigentes governamentais, de partidos políticos, entre outros convidados, tomaram parte da cerimónia em Mbuzini.

+ posts

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.