Domingo, 23 Junho, 2024
Início » MONARUMO: Dorinda Eduardo candidata-se à Presidência da República

MONARUMO: Dorinda Eduardo candidata-se à Presidência da República

Por Jornal Notícias
816 Visualizações

DORINDA Eduardo formalizou a sua candidatura à Presidência da República pelo Movimento Nacional de Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO).

O acto teve lugar no final de segunda-feira, na cidade de Maputo, com a submissão, ao Conselho Constitucional, de um expediente suportado por 17.600 assinaturas.

Assim, Dorinda Eduardo tornou-se, no presente exercício político, a primeira mulher a se assumir como concorrente presidencial no pleito eleitoral deste ano, e a segunda na história do país a manifestar a intenção, depois de Alice Mabota, em 2019, pela Coligação Aliança Democrática (CAD).

Em declarações à imprensa, Dorinda Eduardo disse que esta acção simboliza o início de uma era em que as mulheres são activas como líderes do processo eleitoral, buscando mais equilíbrio de género em posições de alto poder no país.  

the_ad_group(621);

“Com esta candidatura, pretendemos deixar claro que a política é um espaço para as mulheres e que elas podem sonhar em ser Presidente da República e nem pode haver limitações para a participação política. Por essa razão, espero ser a primeira mulher na história do país a ser aceite para concorrer e a ocupar o cargo”, sublinhou. 

Com uma proposta de governação que  incide na promoção da paz em Moçambique, a candidata assumiu que, caso seja eleita, vai promover esforços para implantar igualdade de oportunidades nos vários segmentos de relevância nacional.

“Queremos ser inclusivos, atendendo aspreocupações de todos os grupos sociais e a promover os valores de unidade nacional, paz, solidariedade, democracia e respeito pelos direitos do cidadão plasmados na Constituição da República”, frisou. 

Com 51 anos de idade, Dorinda Eduardo nasceu na província de Cabo Delgado, distrito de Chiúre. É jurista de profissão e também integra a Comissão de Reflexão sobre o Modelo de Governação Descentralizada(CREMOD). 

Por sua vez, a presidente do Conselho Constitucional, Lúcia Ribeiro, explicou que os expedientes apresentados vão passar por uma verificação minuciosa do órgão em que serão cruzados os nomes, os números de cartão de eleitor e as assinaturas juntamente com outros documentos do proponente. 

Na mesma ocasião orientou o partido a estar atento à notificação do CC para suprir qualquer irregularidade, caso existam.

Leia mais…

Artigos que também podes gostar

Propriedade da Sociedade do Notícias, SA

Direcção, Redacção e Oficinas

Rua Joe Slovo, 55 • C.Postal 327

Capa do dia