Quarta-feira, 29 Maio, 2024
Início » REFLEXÕES DA MUVALINDA: Inteligência emocional

REFLEXÕES DA MUVALINDA: Inteligência emocional

Por Jornal Notícias
1,1K Visualizações

Cândida Muvale*

NO passado dia 13 de Abril de 2024 tive a honra de participar como oradora da segunda edição do a projecto Direito a Sonhar, a convite da Dra. Eulália Nhatitima, patrona da Fundação Cidadania, a quem aproveito agradecer pela oportunidade e confiança. O painel tinha como tema: Inteligência Emocional no Feminino, foi moderado pelo Dr. Ivan Amade e a outra oradora foi a coach e mestre em Inteligência Emocional Nilsa Manuel.

Foi um painel interessante, dinâmico onde as participantes tiveram oportunidade de fazer muitas perguntas, contar testemunhos e ver as suas dúvidas sanadas. Daí, para hoje, pretendo abordar brevemente sobre a inteligência emocional, um tema que nos últimos anos ganhou muito protagonismo, entrou na moda mas percebo que muitos não sabem ao certo o que significa e as suas características.

O psicólogo Americano Daniel Goleman é considerado o pai da inteligência emocional. Estuda emoções e inteligência emocional há muitos anos e tem um livro de mais de 400 páginas sobre a temática. Em linhas gerais, Goleman defende que inteligência emocional é a capacidade de reconhecer, compreender e gerenciar as próprias emoções, bem como a habilidade de reconhecer e influenciar as emoções dos outros. Ela envolve o auto-conhecimento, o controlo emocional, a empatia, a motivação e a habilidade de se relacionar de forma saudável com os outros.

banner

Desenvolver a inteligência emocional é importante para lidar com desafios, estabelecer relacionamentos positivos e tomar decisões conscientes. Porém, a falta de inteligência emocional no quotidiano pode contribuir para uma série de problemas psicológicos e emocionais. Por exemplo, a incapacidade de reconhecer e gerenciar as próprias emoções pode levar a um aumento do estresse, da ansiedade e da frustração. Além disso, dificuldades em compreender e lidar com as emoções dos outros podem afectar negativamente os relacionamentos interpessoais, levando a conflitos e isolamento social.

A falta de inteligência emocional também pode contribuir para problemas de auto-estima, dificuldades de comunicação, comportamentos impulsivos e dificuldades em lidar com situações desafiadoras. Em um nível mais profundo, a ausência de habilidades emocionais pode impactar a saúde mental, podendo contribuir para o desenvolvimento de distúrbios como a depressão e a ansiedade crónica. Deste modo, desenvolver inteligência emocional é essencial para promover o bem-estar psicológico e emocional, ajudando as pessoas a lidar de forma mais eficaz com os desafios diários e a cultivar relacionamentos saudáveis consigo mesmas e com os outros.

Como vimos acima, desenvolver a inteligência emocional envolve um processo contínuo de auto-conhecimento e aprimoramento das habilidades emocionais. Algumas dicas que podem ajudar a melhorar a inteligência emocional, sem ordem de importância são:

1. Pratique a auto-consciência: Dedique tempo para reflectir sobre suas próprias emoções, identificando-as e compreendendo suas origens. A meditação e a atenção plena podem ser úteis para isso.

2. Desenvolva o controlo emocional: Aprenda a gerenciar suas emoções de forma saudável, buscando estratégias como a respiração profunda, o relaxamento e a busca por perspectivas alternativas em situações desafiadoras.

3. Cultive a empatia: Procure compreender as emoções dos outros, colocando-se no lugar deles e praticando activamente a escuta empática.

4. Melhore suas habilidades de comunicação: Aprenda a expressar suas emoções de forma clara e assertiva, ao mesmo tempo em que desenvolve a capacidade de ouvir atentamente os outros.

5. Busque equilíbrio emocional: Encontre maneiras saudáveis de lidar com o estresse, como exercícios físicos, hobbies relaxantes ou conversas com amigos.

6. Aprenda com os outros: Observe pessoas que demonstram inteligência emocional e busque aprender com elas, seja por meio de conversas ou exemplos práticos.

É importante realçar que desenvolver inteligência emocional é um processo gradual, que requer prática e auto compaixão consigo mesmo. Pequenas mudanças diárias podem levar a grandes avanços ao longo do tempo.

E como não pode faltar uma citação bíblica nos meus textos, vem patente em Provérbios 25:28: “Como cidade derrubada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.” Esse versículo destaca a importância de termos controlo sobre as nossas emoções e agirmos com sabedoria, por isso exorto a todos os leitores para que invistam tempo em perceber as suas emoções, treinar o auto-controlo, fazer terapia, ou seja, prestarem mais atenção na vossa saúde mental.

*Psicóloga e Activista Social

Leia mais…

Artigos que também podes gostar

Propriedade da Sociedade do Notícias, SA

Direcção, Redacção e Oficinas

Rua Joe Slovo, 55 • C.Postal 327

Capa do dia