Sexta-feira, 24 Maio, 2024
Início » EDITORIAL

EDITORIAL

Por admin-sn
1,3K Visualizações

AS atenções dos moçambicanos estiveram viradas, esta semana, para a Assembleia da República, a partir de onde o Chefe do Estado prestou a informação anual sobre a situação geral da nação, no ano prestes a terminar. Na sua avaliação, Filipe Nyusi disse que Moçambique criou bases sólidas para crescer nos anos que se seguem, como um país competitivo, sustentável e inclusivo, a julgar por um conjunto de actos levados a cabo nos mais variados domínios político, social, económico e segurança.
É nosso entender que tais bases estão sim criadas, não obstante a existência de factores endógenos e exógenos que perturbam o rápido desenvolvimento do país, como os recentes eventos climatéricos extremos, terrorismo, crise económica internacional e conflitos em outras geografias, cujos efeitos conjugados prejudicam a nossa economia e, consequentemente as condições de vida das pessoas.
Com efeito, testemunhamos no decurso do ano ao surgimento de novas infra-estruturas de abastecimento de água e de energia, estradas e pontes, garantindo a livre circulação de pessoas e bens, entre outras realizações que melhoram a qualidade de vida dos moçambicanos.
No domínio energético destaca-se o projecto da Central Térmica a Gás, em Temane, que inclui uma linha de transporte para Maputo, visando alimentar o mercado doméstico e regional, e também, dois projectos em fase avançada de estudos e negociação de contratos, nomeadamente a Hidroeléctrica de Mphanda Nkuwa e a Central Eólica da Namaacha. Mas também podemos nos referir à questão da segurança em Cabo Delgado, onde paulatinamente a população regressa às origens para retomar as suas actividades, na sequência dos golpes sucessivos e consecutivos que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) desferem contra os terroristas.
Na verdade, as acções combinadas das FDS, SAMIM e do Ruanda e ainda da Força Local têm vindo a desarticular os terroristas, facto que consolida o controlo de áreas outrora ocupadas pelos malfeitores. Vale a pena encorajar as FDS a prosseguirem com tenacidade a luta contra o terrorismo e extremismo violento, restabelecendo a segurança e garantindo a assistência humanitária e a reconstrução de infra-estruturas e serviços básicos, a bem do desenvolvimento.

Artigos que também podes gostar

Leave a Comment

Propriedade da Sociedade do Notícias, SA

Direcção, Redacção e Oficinas

Rua Joe Slovo, 55 • C.Postal 327

Capa do dia