Segunda-feira, 24 Junho, 2024
Início » DA CONSULTA À GRAMÁTICA: Relação harmónica

DA CONSULTA À GRAMÁTICA: Relação harmónica

Por Jornal Notícias
832 Visualizações

DELFINA MUGABE

COLOCAR termos certos e que estejam em harmonia na formação frásica não só denota a utilização precisa da linguagem como também evita a transmissão de acepções errôneas durante o processo da comunicação. Uma das relações consonantes, fundamentais, que devem ser correctamente estabelecidas é, sem dúvidas, entre o sujeito e o verbo.

Segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo, esta concordância entre o verbo e o sujeito manifesta-se na variabilidade do verbo para conformar-se ao número e à pessoa do sujeito. Porém, nem todos os falantes prestam atenção a este aspecto: uns por desconhecimento e outros por incúria.

“Da Consulta à Gramática” analisa, hoje, a concordância verbal nesta expressão: “bastam cinco dias” ou “basta cinco dias”? – esta é a pergunta que um leitor nos enviou, solicitando esclarecimentos. Vejamos alguns exemplos de concordância verbal numa oração:

the_ad_group(621);

O Paulo não foi trabalhar porque está incomodado.

– A Sandra, a Joana e a Mafalda são as melhores alunas da faculdade;

O Sr. Manuel cuida muito bem da piscina. 

As palavras sublinhadas são “os sujeitos” gramaticais nas respectivas orações, enquanto as que aparecem em “bold” (pintadas) são “os verbos”. Como se pode notar, na primeira e terceira frases os substantivos (Paulo e Manuel) estão no singular. Tendo estes a função de “sujeito” das orações inerentes, os respectivos verbos devem estar, também, no singular. Quer dizer, é necessário que se estabeleça uma relação concordante entre si. Os verbos são “ir” e “cuidar”; todos, igualmente, no singular. 

Quanto à segunda frase, o sujeito é composto por “Sandra, Joana e Mafalda”. Por isso, o verbo “ser” foi conjugado no presente do indicativo, no plural. Isso é o que rege a gramática: concordância entre o sujeito e o verbo, em número. Em relação à pessoa gramatical, a harmonia deve ser, igualmente, observada.  Exemplo:

A menina Keila é carinhosa;

O irmão, Paulo, é menos carinhoso.

– Os meninos são estudiosos.

As meninas são, também, estudiosas.

Nestes quatro exemplos a concordância é respeitante ao número e pessoa gramatical. Portanto,

Nas expressões: “Bastam  cinco dias” ou “Basta cinco dias”, nota-se que o sujeito da primeira oração é “cinco dias” (plural) e o verbo “bastam” (também no plural). Na segunda oração o sujeito é “cinco dias” (plural) e o verbo “basta” (no singular). Isso significa que na segunda frase existe desarmonia entre os dois elementos gramaticais (sujeito e verbo). Assim, a construção frásica correcta, segundo a norma, é a primeira: “bastam cinco dias” para concluir determinada actividade.  Portanto, respeitar as regras gramaticais torna o texto inteligível e dá prazer na leitura.

Leia mais…

Artigos que também podes gostar

Propriedade da Sociedade do Notícias, SA

Direcção, Redacção e Oficinas

Rua Joe Slovo, 55 • C.Postal 327

Capa do dia